Candidatura de João Ferreira serve para combater novos "fachos"

A campanha eleitoral de João Ferreira serve para esclarecer problemas que afetam a população, mas também, de acordo com a autarca de Setúbal, para combater os novos fascistas, "alimentados por velhos fachos que ficaram escondidos debaixo das pedras durante décadas".

João Ferreira acusou o Presidente da República de deixar os jovens numa situação de vulnerabilidade, numa sessão dedicada ao "Emprego, direitos e desenvolvimento", no Fórum Municipal Luísa Todi, em Setúbal, ao final da manhã.

O candidato apoiado pela CDU discursou após a mandatária nacional Heloísa Apolónia e da autarca local, Maria das Dores Meira, que, sem dizer nomes, evidenciou que a candidatura de João Ferreira "serve para combater os novos fascistas que ficaram escondidos debaixo das pedras".

A autarca de Setúbal deixou claro: se a CDU soube combater os velhos fascistas vai também saber derrotar os novos. "Soubemos combater os velhos "fachos", saberemos derrotar os novos fascistas", evidenciou.

A campanha eleitoral de João Ferreira serve para esclarecer problemas que afetam a população, mas também, para a autarca de Setúbal, serve para combater os novos fascistas, "alimentados por velhos fachos que ficaram escondidos debaixo das pedras durante décadas". Adiantou ainda Maria das Dores Meira, perante uma plateia reduzida pelas normas de segurança impostas pela DGS - Direção Geral da Saúde - mas de bandeiras nacionais em punho, que estes "ressurgem com discursos xenófobos, dividindo portugueses em categorias e etnias, sugerindo confinamentos seletivos".

Marcelo Rebelo de Sousa colocou jovens em vulnerabilidade

João Ferreira desviou-se do fascismo e apostou em clarificar que o atual Presidente, Marcelo Rebelo de Sousa, deixou os jovens portugueses em situação de vulnerabilidade. "Aquele que exerceu as funções de presidente da República utilizou os seus poderes para, ao arrepio da constituição, deixar os jovens perante uma vulnerabilidade especial". E deu exemplos, como quando se trata de aceder ao primeiro emprego ou de aceder a habitação, que são "condições essenciais de autonomização dos jovens", afirma.

Por isso, João Ferreira distingue quem está ou não do lado dos jovens. "Tem uma força imensa podermos dizer a um jovem, que luta pelo seu primeiro emprego e a sua autonomização, que a lei fundamental do país está do teu lado, quem não está são aqueles que estando a governar ou a exercer funções de presidente da República se esqueceram daquilo que diz a lei fundamental do país", refere.

O candidato a Belém diz que há muito tempo que o país está conformado com taxas de desemprego elevadas e que foi indiscutível o papel do PCP para que o lay-off a 100% esteja agora garantido para todos aqueles que sejam novamente remetidos para esta situação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de