Catarina e Chicão: entre os que seguem os ensinamentos do "papa Francisco Louçã" e a direita que "acredita no pai Natal"

Debate entre a coordenadora do Bloco de Esquerda e o líder do CDS decorreu com um tom muito morno.

Francisco Rodrigues dos Santos acusa Catarina Martins de querer "matar a economia" e sugere que, com as "desprivatizações" de várias empresas, o Bloco de Esquerda quer "regressar ao período do PREC". No frente a frente televisivo entre os líderes de dois partidos em bancadas opostas no Parlamento, a coordenadora bloquista assumiu um valor global da proposta do Bloco para reverter as privatizações da ANA, CTT, EDP, GALP e REN.

"Nós fazemos um plano a longo prazo que chegaria, eventualmente, aos 20 milhões de euros", refere Catarina Martins e pede que "se tenha em conta quem ganha com as privatizações em Portugal", asseverando que é uma "espécie de assalto do bloco central", sem esquecer "um antigo presidente do CDS que brindou à privatização da EDP".

"Esta agenda radical do Bloco de Esquerda representa um agravamento de cerca de 15% da dívida pública em função do PIB", rematou Rodrigues dos Santos.

Para o líder do CDS, "é preciso rever o papel do Estado na economia" e defende a privatização dos transportes, dando como exemplo a TAP. Adianta o presidente centrista que o programa do Bloco de Esquerda "não tem uma única palavra para a melhoria das condições dos empresários".

"A Catarina diz que está em linha com o papa Francisco, mas é com o papa Francisco Louçã", ironizou o presidente centrista, garantindo que o chefe da igreja católica defende o papel dos empresários na melhoria da vida das pessoas.

"Há uma certa direita que acredita no pai natal", respondeu a coordenadora do Bloco, que considera que o capital estrangeiro que investe nos setores estratégicos portugueses tem políticas de "desastre" para o país.

Num debate em tom muito morno, Catarina Martins considerou que "a direita quer tirar ao país capacidade de investimento e soberania" e atirou a Rodrigues dos Santos a questão dos Vistos Gold e a posição defendida pelo Conselho Económico e Social esta semana.

"O CES pede que os vistos gold acabem porque têm sido uma forma de aumentar os preços das casas", afirmou.

Sem demora, Francisco Rodrigues dos Santos compara o Bloco ao Livre que acusa de, pelo contrário, "colocarem a lei da nacionalidade portuguesa em saldos" e proporem "uma economia praticamente comunista" que afasta os empresários.

Num dos últimos debates televisivos entre os líderes partidários, ainda se falou de políticas opostas no setor da saúde, com Francisco Rodrigues dos Santos a fazer uma acusação em que ficou sem resposta da coordenadora do Bloco de Esquerda.

"O Bloco de Esquerda faz campanha com crianças de 10 anos com t-shirts com canábis", lançou o líder do CDS a um minuto do fim do debate, com Catarina Martins a ripostar: "Está a fazer de André Ventura, agora?". "Não vou responder, é uma tática à André Ventura", acrescentou a coordenadora do Bloco, que lamentou a provocação ao cair do pano do frente a frente televisivo.

LEIA AQUI TUDO SOBRE AS LEGISLATIVAS 2022

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de