CDS fala de Governo "míope" e diz que SNS "não é suficiente"

Deputada Ana Rita Bessa defendeu na Assembleia da República que as mudanças na ADSE podem fazer aumentar as listas de espera.

O CDS-PP acusou esta quinta-feira o Governo de miopia na área da saúde, alertou que SNS "não é suficiente", por muito que se continue a aumentar o orçamento e vaticinou o aumento das listas de espera com mudanças na ADSE.

"Para o CDS a pergunta a responder, agora e para o futuro, é: como garantir o acesso a cuidados de saúde a tempo e horas para todos? Já a pergunta da esquerda - bem presente no que ouvimos sobre as negociações do próximo Orçamento do Estado - é: como fortalecer o SNS [Serviço Nacional de Sáude]? A tónica da pergunta - servir as pessoas ou servir o SNS - muda tudo", afirmou a deputada Ana Rita Bessa, numa declaração política na Assembleia da República.

Na sua intervenção na reunião da Comissão Permanente - sem direito a réplica -, a deputada apontou ainda como sinal preocupante "a atual situação de rutura da ADSE".

"Os funcionários da Administração Pública - os que não têm alternativa - foram informados da alteração de tabelas no próprio dia da entrada em vigor e arriscam-se agora a perder acesso aos seus médicos e aos cuidados de saúde que tinham até aqui. O SNS será sobrecarregado com listas de espera acrescidas e todos perderemos", alertou.

As novas tabelas da ADSE atualizam o preço das consultas na rede convencionada, inclui novos atos médicos, suprime outros que estavam desatualizados e impõe tetos máximos para milhares de procedimentos cirúrgicos, medicamentos hospitalares e próteses, tendo merecido contestação por parte de alguns grupos privados.

Na sua declaração política, a deputada democrata-cristã defendeu que O SNS deve ser "um meio fundamental, mas não um fim em si mesmo".

"Para garantir o acesso a cuidados de saúde a todos, a tempo e horas, precisamos do SNS, mas precisaremos também da complementaridade dos setores privado e social, da indústria farmacêutica, dos laboratórios, das farmácias", considerou.

Ana Rita Bessa alertou que, com o envelhecimento da população e a inovação dispendiosa, "rapidamente se tornará claro que o SNS não é suficiente, por muito que continuemos a aumentar o seu orçamento".

"Um Ministério da Saúde míope, que não vê nem para além dos seus preconceitos, nem para além da viabilização de cada orçamento do estado, não se apercebe nem do tamanho dos problemas com que se defronta, nem das soluções viáveis que outros apresentam", criticou, denunciando "quebras significativas" no acesso aos rastreios e cuidados de saúde primários.

Ainda assim, Ana Rita Bessa assegurou que o CDS-PP continuará a insistir na próxima sessão legislativa nas suas propostas para a saúde "para que todos os cidadãos, independentemente do seu código postal ou da sua carteira, possam ter uma resposta de saúde a tempo e horas".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de