Chega diz que Governo fez revisão em baixa do crescimento da economia

André Ventura prevê "uma certa dose de austeridade" em Portugal depois de conhecer as bases do Orçamento do Estado de 2022.

O presidente do Chega advogou esta segunda-feira que "vem aí uma certa dose de austeridade" e que o Governo fez uma revisão em baixa do crescimento da economia para este ano, abaixo dos 5% inicialmente previstos.

O Chega foi o segundo partido a reunir-se com o executivo para conhecer as linhas gerais da proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022).

No final da reunião, André Ventura revelou que o ministro das Finanças, Fernando Medina, transmitiu que vai haver uma revisão do crescimento da economia portuguesa face ao Programa de Estabilidade.

"O que o Governo admite é uma revisão em baixa dos níveis de crescimento. [O ministro das Finanças] não nos disse qual é que era a variação que é expectável", disse o presidente do Chega.

O antigo ministro das Finanças, João Leão, tinha anunciado no final de março que o Programa de Estabilidade para o período 2022-2026 apontava para um crescimento de 5% em 2022 e de 3,3% no próximo ano.

O deputado do Chega acrescentou que o Governo mantém o défice para 2022 em 1,9% do Produto Interno Bruto (PIB). Há menos de um mês o executivo tinha feito uma revisão em baixo do défice de 2,8% para 1,9% do PIB.

André Ventura também foi questionado sobre o "regresso encapotado" da austeridade, como referiu momentos antes o líder parlamentar do PSD, Paula Mota Pinto, depois da reunião com o Governo.

"Uma coisa é o que nos foi transmitido lá dentro [durante a reunião] e aí o ministro não nos disse que vinha aí austeridade e que ia haver um aumento de impostos. Outra é a sensação com que ficámos da análise das palavras do ministro. Aí posso dizer que vem aí uma certa dose de austeridade", comentou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de