CNE e autarquias garantem que há condições para o voto em "absoluta segurança"

A Comissão Nacional de Eleições e a Associação Nacional de Municípios asseguram que estão reunidas todas as condições para que o voto seja exercido em "absoluta segurança".

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) assegurou neste sábado que o voto nas eleições legislativas antecipadas deste domingo "é seguro" e defendeu que todos os eleitores "devem votar, independentemente de estarem em isolamento" devido à Covid-19.

"Apesar de estas eleições ainda se realizarem no contexto da pandemia de Covid-19, estão reunidas todas as condições para que o voto seja exercido em absoluta segurança", afirmou a substituta do presidente da CNE, Vera Penedo, sublinhando que "os locais de votação foram preparados de modo a não existirem condições favoráveis ao contágio".

Numa conferência de imprensa realizada no auditório Almeida Santos, na Assembleia da República, em Lisboa, destacou que "foram fornecidos aos membros de mesa e demais pessoas envolvidas no processo os equipamentos de proteção individual" e apelou aos cidadãos para respeitarem as recomendações das autoridades de saúde, notando ainda que "estarão disponíveis máscaras para as pessoas que as solicitem" nas assembleias e secções de voto.

"As votações antecipadas decorreram de forma tranquila. Sublinha-se, também, que a campanha eleitoral se desenrolou sem incidentes, tendo as candidaturas tido a oportunidade de apresentar as suas propostas e programas num quadro de normalidade democrática", referiu a dirigente da CNE, acompanhada ainda pelo porta-voz do organismo, João Tiago Machado, e pelo secretário da comissão, João Almeida.

Também Luísa Salgueiro, presidente da Associação Nacional de Municípios, adiantou, em declarações à TSF, que não tem dúvidas de que será garantida a segurança de todos. "As pessoas que estão na mesa vão apetrechar-se de equipamentos. Há fatos disponíveis, há viseiras disponíveis, há uma operação de higienização."

Com "mais cautelas a ter", a autarca deixa, no entanto, garantias: tudo vai ser higienizado, e o nível de segurança não ficará atrás do encontrado tanto nos centros de saúde como em outras filas. Haverá ainda ventilação e funcionários a garantir que o distanciamento é cumprido.

À hora em que é publicada esta notícia, muitos dos preparativos estão a ser ultimados em várias secções de votos espalhadas pelo país. O Presidente da República vai dirigir-se aos portugueses às 13h00.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de