CNE lamenta que votos da África do Sul não tenham chegado a Portugal

Da África do Sul ainda não chegou qualquer voto, apesar de terem sido enviados para o país mais de 32 mil boletins. A CNE considera que o problema é deixar muitas vezes os procedimentos para a última hora, mas admite que pode haver uma melhor articulação com os correios.

A Comissão Nacional de Eleições lamenta que não seja possível fazer a contagem de todos os votos de emigrantes que votaram fora do país para as eleições de 6 de outubro.

A contagem dos votos dos portugueses espalhados pelo mundo será feita na quarta-feira. No entanto, o jornal Público relata na edição desta terça-feira que da África do Sul ainda não chegou qualquer voto, apesar de terem sido enviados para o país mais de 32 mil boletins.

João Machado, porta-voz da Comissão Nacional de Eleições lamenta a situação, mas aponta que tem de haver uma data limite para o apuramento dos votos.

"A CNE olha para isto com alguma tristeza, mas como uma situação que nos ultrapassa, porque a lei é clara quando diz que o apuramento tem de ser feito até ao décimo dia pós-eleições, e esse décimo dia será amanhã [quarta-feira]."

O representante da CNE considera que o problema é deixar muitas vezes os procedimentos para a última hora, mas admite que pode haver uma melhor articulação com os correios. "Tem havido todos os anos votos que chegam depois do décimo dia", constata João Machado.

"Os boletins de voto têm de ser colocados no correio até 6 de outubro, mas deveriam ter sido colocados muito antes", argumenta o porta-voz da CNE.

Esta quarta-feira serão contados os votos enviados pelos emigrantes, que elegem quatro deputados: dois pelo círculo da Europa e dois pelo círculo fora da Europa. O secretário-geral adjunto da Administração Eleitoral, Joaquim Morgado, admitiu, em declarações à TSF, que os votos dos emigrantes portugueses ainda não chegaram da África do Sul. "Temos, por parte do operador, a indicação de que as cartas foram levantadas desta unidade central de receção só a 17 de setembro, ou seja, 12 dias depois."

De acordo com Joaquim Morgado, "algumas cartas começaram a entrar no circuito nacional de distribuição a 23 de setembro, mas a maior parte apenas entrou no circuito a 2 e 3 de outubro".

O secretário-geral adjunto da Administração Eleitoral esclareceu ainda que, caso os boletins cheguem até esta quarta-feira, serão contabilizados, mas, até lá, a Administração Eleitoral permanece em contacto com os correios sul-africanos para tentar detetar o problema. "Até ontem não nos chegou nenhuma carta de África do Sul. Pode ser que cheguem hoje ou amanhã..."

"Continuamos a insistir, junto dos correios sul-africanos, para tentar perceber o que se passou. Tenho uma resposta de ontem de que o caso continua a ser analisado", assevera.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados