"Contínuos ataques de caráter" do Chega e CDS. Livre defende Joacine

Francisco Rodrigues dos Santos disse que "não existem Joacines" no CDS e André Ventura propôs a deportação da deputada do Livre.

Perante os ataques a Joacine Katar Moreira feitos, esta terça-feira, por parte do novo líder do CDS, Francisco Rodrigues dos Santos, e do líder do Chega, André Ventura, o Livre pôs de parte as recentes divergências internas e saiu em defesa da deputada.

"Face aos contínuos ataques de caráter e referências de índole racista e sexista por parte de deputados e dirigentes partidários da direita, nomeadamente do CDS-PP e do partido de extrema-direita Chega, e que têm como alvo a deputada Joacine Katar Moreira, única representante do partido, o Livre não pode deixar de repudiar veemente esses ataques e o uso de uma linguagem depreciativa e difamatória, que perpetua estigmas racistas e sexistas na sociedade portuguesa", começa por dizer o Livre em comunicado.

Francisco Rodrigues dos Santos recorreu ao exemplo dos conflitos internos no Livre para vincar a unidade do CDS, sublinhando que, no seu partido, "não existem Joacines". Já André Ventura sugeriu a deportação da representante do Livre para mostrar a sua insatisfação relativamente à proposta do partido de devolver património das ex-colónias que está em museus portugueses.

"As divergências políticas não podem dar lugar nunca a manifestações discriminatórias, ainda mais por representantes eleitos para a Assembleia da República e por responsáveis políticos e partidários, num Estado de direito democrático assente no pluralismo de expressão, no respeito e garantia de liberdades fundamentais", pode ler-se na nota divulgada pelo partido de Joacine Katar Moreira.

"Expressão de racismo e falta de noção." BE também condena ataques

O Bloco de Esquerda já condenou publicamente as declarações de Francisco Rodrigues dos Santos e de André Ventura. Pedro Filipe Soares, chefe do grupo parlamentar do partido, classificou estes comentários como racistas.

"André Ventura pede a deportação de Joacine Katar Moreira, expressão de racismo e falta de noção democrática. Este ato exige de todos uma frontal condenação. É isso que proporemos ao presidente da Assembleia da República e a todos os parlamentares", escreveu Pedro Filipe Soares no Twitter.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de