Costa diz que é tempo de recuperação económica e incentiva empresários a "não ficarem parados"

O primeiro-ministro recorda que as verbas do PRR não podem ser utilizadas pela administração pública, "apesar do que se tem dito".

António Costa destaca que o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) é um elemento fundamental para as empresas se reabilitarem e recuperarem o tempo que a pandemia roubou. Na inauguração da exposição Capital do Móvel, em Lisboa, o primeiro-ministro lembra que Portugal tem de começar a olhar para a recuperação económica do país, e incentiva os empresários a apresentarem candidaturas.

"Estamos a chegar a uma fase avançada do processo de vacinação e podemos olhar com confiança para controlar a pandemia. É altura de nos focarmos na recuperação económica e social do país, mas não basta voltar ao ponto em que estávamos em 2019", aponta.

O primeiro-ministro salienta que o país "tem a obrigação de ir mais além", com um PRR que duplica as verbas que Portugal tem para investir. E alerta que o investimento tem de ser feito em seis anos.

"No PT 2020, o programa disponibilizou às empresas cerca de 4700 milhões de euros. O programa PT 2030 vai disponibilizar cinco mil milhões de euros. E a acrescer a isto temos o conjunto de verbas do PRR: não se estendem por um período de dez anos, mas concentram-se num curto período em que todos os compromissos têm de ser assumidos até 2023", lembra.

Costa adianta que "todos os cêntimos têm de ser gastos" até 2026, e recorda que as verbas não podem ser aproveitadas pela administração pública, "apesar do que se tem dito".

O chefe do Executivo incentiva, por isso, os empresários a preparar as candidaturas para "não perderem tempo". "É altura de nos concentrarmos no programa e estudar as candidaturas. Espero que não fiquem parados, porque as verbas não podem ser utilizadas pela Administração Pública. Ou são utilizadas pelas empresas, ou são perdidas", garante.

O primeiro-ministro espera que ainda durante a Presidência portuguesa da União Europeia seja aprovado o plano de recuperação de Portugal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de