Costa, Governo e Marcelo em queda. Montenegro empata com Ventura na liderança da oposição

Aos seis meses de Governo, o primeiro-ministro acentua o desgaste. São quinze pontos perdidos desde abril. No mesmo período, o Presidente perdeu doze. Entre os ministros avaliados, Medina é o mais negativo e Pizarro ainda é uma incógnita.

É uma tendência que se acentua quando passam seis meses de maioria absoluta do PS: António Costa em queda sistemática desde abril, o Governo também em terreno negativo e Marcelo Rebelo de Sousa, em perda, desde dezembro, atinge o valor mais baixo na avaliação na sondagem da Aximage para TSF-JN-DN, estando na linha de água das opiniões positivas (49%).

Na avaliação positiva do Presidente ainda contam mais as respostas do PS (74%) do que as do PSD (54%). Aliás, os eleitores socialistas nesta sondagem demonstram maior confiança em Marcelo Rebelo de Sousa do que em António Costa.

A oposição também não sai bem na fotografia, ainda em terreno claramente negativo. Mas a novidade está no empate entre André Ventura e Luís Montenegro quando se pergunta quem é a principal figura da oposição.

O líder do Chega, que costumava surgir isolado, foi agora alcançado pelo presidente do PSD. Ventura ainda leva vantagem a norte, centro, sul e junto os inquiridos mais jovens, mas Montenegro ganha terreno nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto e no voto dos mais velhos.

Entre os ministros avaliados, a estreia de Manuel Pizarro, na pasta da Saúde, acontece em terreno neutro, num empate entre avaliações positivas e negativas, mas o que se destaca é a interrogação: cerca de um terço dos inquiridos não sabe como avaliar e outro terço opta pelo "nem bem, nem mal".

Enquanto a ministra da Presidência Mariana Vieira da Silva, embora também desça, é ainda a única em terreno favorável, o titular das Finanças, Fernando Medina, está ainda mais negativo, neste mês em que também deu a cara pelas medidas apresentadas pelo Governo para mitigar os efeitos da inflação. 20% dos eleitores do PS dão-lhe nota negativa e outros 30% avaliam "assim-assim".

Pedro Nuno Santos está um pouco acima, mas também com saldo negativo. O eleitorado socialista surge dividido na avaliação do ministro das Infraestruturas e da Habitação: 34% dão-lhe nota positiva, 28% "assim-assim" e 30% reprovam a atuação de Pedro Nuno Santos. Quando se analisa quem atribui um "muito bom" ao ministro, destacam-se os votantes na CDU e no Bloco de Esquerda, bem acima do voto socialista.

Ficha técnica:

A sondagem foi realizada pela Aximage para a TSF, JN e DN com o objetivo de avaliar a opinião dos Portugueses sobre temas relacionados com a avaliação dos protagonistas políticos. O trabalho de campo decorreu entre os dias 21 e 24 de setembro. Foram recolhidas 810 entrevistas entre maiores de dezoito anos residentes em Portugal. Foi feita uma amostragem por quotas, com sexo, idade e região, a partir do universo conhecido, reequilibrada por sexo e escolaridade. À amostra de entrevistas, corresponde um grau de confiança de 95% com uma margem de erro DE 3,45%. A responsabilidade do estudo é da Aximage Comunicação e Imagem Lda., sob a direção técnica de Ana Carla Basílio.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de