Costa volta a afastar demissão e afirma que Governo enfrentará "tormenta" da crise

Primeiro-ministro decidiu reafirmar o que disse há um ano quando tomou posse do XXII Governo Constitucional.

O primeiro-ministro citou esta terça-feira parte do discurso que proferiu na cerimónia de posse do seu segundo Governo, em outubro de 2019, para frisar que o seu executivo enfrentará as dificuldades da "tormenta" da crise.

"Vivemos desafios únicos que estou certo nunca nenhum de nós imaginou ter de enfrentar", declarou António Costa no final da sua intervenção na abertura do debate na generalidade da proposta de Orçamento do Estado para 2021.

Neste contexto, António Costa decidiu reafirmar o que disse há um ano quando tomou posse do XXII Governo Constitucional.

"O compromisso que selámos com os portugueses não está dependente de ciclos económicos. Este é um Governo para os bons e para os maus momentos. Não viraremos as costas às dificuldades. E quanto maior for a tormenta, maior será a nossa determinação em ultrapassá-la", declarou o líder do executivo

Antes, o primeiro-ministro tinha defendido que a proposta de Orçamento "não corta rendimentos, protege os rendimentos das famílias e protege mais as famílias de menores rendimentos".

"Não reduz o investimento público, aumenta-o para responder em contraciclo à contração da economia. Não se conforma com a quebra da procura e apoia as empresas para vencerem a crise. Não se rende à fatalidade da destruição de postos de trabalho e protege o emprego", acrescentou.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de