Cotrim Figueiredo teme que Governo "não vá fazer nada" no caso das polémicas com ministros

Sobre os casos da ministra da Coesão Territorial e do ministro da Saúde, João Cotrim Figueiredo critica que "é tudo normal" para o PS.

João Cotrim Figueiredo sublinha esta terça-feira que a Iniciativa Liberal (IL) já deu duas alternativas para os casos que envolvem os ministros Ana Abrunhosa e Manuel Pizarro, mas teme que nada seja feito.

"Na realidade há uma terceira que temo bem que seja aquela que em ambos os casos vá prevalecer que é o PS fazer absolutamente nada", afirma.

Para o líder da IL essa posição também "tem uma leitura política". "É que para o PS isto é tudo normal (...). Isto é deles. Eles mandam nisto há não sei quantos anos", acrescentou, em resposta aos jornalistas no encerramento das jornadas parlamentares do partido que terminaram esta terça-feira em Coimbra.

A polémica em torno da ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, está relacionada com o facto de empresas do marido terem recebido pelo menos 133 mil euros em fundos comunitários. Já Manuel Pizarro, que tomou posse como ministro em meados de setembro, é sócio-gerente de uma empresa na área da saúde e, por isso, numa situação de incompatibilidade.

João Cotrim Figueiredo lembrou que a IL já apresentou as alternativas para estes casos. No caso de Ana Abrunhosa "ou era devolvido ou dinheiro ou havia uma demissão". Quanto a Manuel Pizarro a opção seria "ou a demissão ou uma resolução do problema de conflito de interesses com a empresa que existe na área da saúde e que opera na área da saúde".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de