O reeleito presidente do Iniciativa Liberal, João Cotrim de Figueiredo
Iniciativa Liberal

Cotrim quer "um país alegre" e derrotar um Governo "que falha em tudo, menos na propaganda"

João Cotrim de Figueiredo encerrou a IV convenção da Iniciativa Liberal (IL) com um recado para os portugueses: a 30 de janeiro, o voto útil é nos liberais. O líder reeleito apontou baterias ao Governo socialista, que "é nepotista e incompetente", e "falha em tudo, menos na propaganda".

O presidente do partido subiu ao palco ao som dos Queen, com a música "I want to break free". "Quero ser livre", como diz a música, e João Cotrim de Figueiredo mostrou o caminho para liberdade.

"Mudar um país inteiro parece um trabalho político difícil, mas descreve-se em dois passos: temos que convencer os portugueses que é preciso mudar, e convence-los que o voto mais útil é na IL", defendeu.

E João Cotrim de Figueiredo acrescentou que o Governo é "nepotista e incompetente", e Portugal precisa de uma mudança, porque o atual Executivo "falha em tudo, menos na propaganda".

"Este é um Governo e um Partido Socialista incompetente em tudo, menos na propaganda e na manipulação. Querem um exemplo? A TAP. Não houve argumentado dado ao aumento do dinheiro dos contribuintes na companhia aérea que não fosse falacioso", sustentou.

O líder liberal lembrou que os postos de trabalho diminuiriam no processo de reestruturação da companhia aérea, com o dinheiro dos portugueses a ser utilizado numa empresa "que não tem salvação".

E recuando aos tempos de José Sócrates, e aos ministro de António Costa, "que está agarrado ao poder", o presidente liberal criticou o Governo "gordo e anafado" e que "manteve más companhias" à esquerda, PCP e BE.

Cotrim de Figueiredo garantiu ainda que o Governo não faz ideia de como colocar o país a crescer, porque "quem não consegue resolver o problema do crescimento económico, não consegue resolver nenhum problema".

"Esse é o centro do ciclo político: Portugal tem que crescer. Um país que não cresce, com salários que não crescem, só crescem os impostos, cresce a imigração dos mais qualificados, cresce a falta de esperança, cresce o consumo de ansiolíticos. Este não é o país que queremos construir", atirou.

E que país quer a Iniciativa Liberal? João Cotrim de Figueiredo acrescenta que "é um país alegre, confiante, ao contrário de um país triste e amedrontado, que marca passo e definha".

O líder liberal assumiu ainda que o país onde quer viver é igualitário "onde não interessa o nome de família, nem o país de origem, defensor das liberdades e dos direitos humanos".

Com 94,1% dos votos, João Cotrim de Figueiredo sai legitimado da VI convenção da Iniciativa Liberal (IL), já em período de pré-campanha eleitoral para as legislativas. O líder do partido espera eleger cinco deputados, e vai ser o cabeça de lista pelo círculo eleitoral de Lisboa.

De acordo com os resultados anunciados pela mesa, a moção de estratégia global, cujo primeiro mandatário é Cotrim Figueiredo, teve 688 votos a favor, 22 abstenções e 21 votos contra.

Com eleições antecipadas e uma meta ambiciosa de cinco deputados para as legislativas, o presidente liberal assumiu que esta é uma oportunidade que o partido não pode desperdiçar. As listas de deputados ainda estão a ser finalizadas, e o partido vai reunir-se em conselho nacional na próxima semana para aprovar os candidatos a deputados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de