"Cumpri o meu dever." Francisco Rodrigues dos Santos vai recandidatar-se à liderança do CDS

Francisco Rodrigues dos Santos pediu ao conselho nacional do CDS para marcar uma reunião para analisar os resultados eleitorais.

Francisco Rodrigues dos Santos quer fazer do CDS um partido popular que está ao lado dos portugueses e responde às suas necessidades. Para isso, anunciou, esta sexta-feira, que vai recandidatar-se à liderança do partido e, em jeito de balanço dos resultados nas eleições autárquicas, pediu ao conselho nacional a marcação de uma reunião para análise dos resultados.

"Por sentir que cumpri o meu dever e que ninguém, nas mesmas condições, seria capaz de fazer melhor, vou colocar-me à disposição dos militantes do meu partido para continuar a liderar o CDS. Nesse sentido, pedi ao presidente do conselho nacional a marcação de uma reunião para análise dos resultados eleitorais e marcação de um congresso eletivo para ouvir o partido, discutir ideias e apresentar a minha estratégia aos militantes. Contem comigo e com um partido mais forte e coeso", revelou Francisco Rodrigues dos Santos.

Além disso, o líder do CDS ressalvou o facto de o partido estar no Governo dos Açores pela primeira vez.

"Passámos a estar no Governo dos Açores pela primeira vez na história. Neste momento só falta levar a marca do CDS ao Governo de Portugal. A nossa proposta nunca foi nem será um regresso ao passado", explicou o líder do CDS.

O anúncio da recandidatura do atual presidente do CDS surge horas depois de o eurodeputado centrista Nuno Melo ter afirmado que revelará dentro de dias se é candidato à liderança do CDS e depois de o líder parlamentar do partido, Telmo Correia, ter dirigido críticas à direção do partido, devido à polémica com a substituição da deputada Ana Rita Bessa na bancada centrista.

Na terça-feira, o líder parlamentar do CDS, Telmo Correia, tinha anunciado que Ana Rita Bessa seria substituída na Assembleia da República por Sebastião Bugalho. No entanto, o comentador e ex-jornalista renunciou a substituir a deputada no grupo parlamentar do CDS. O lugar deverá ser, afinal, assumido por Miguel Arrobas da Silva.

Esta foi a terceira saída na bancada democrata-cristã desde o início da legislatura, em 2019, depois de a antiga líder do CDS, Assunção Cristas, ter sido substituída por João Gonçalves Pereira, que, por sua vez, quando saiu cedeu o lugar a Pedro Morais Soares.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de