Detenção de Rendeiro. Cotrim fala "num dia bom para o liberalismo e para a Justiça"

Líder da Iniciativa Liberal defende que Rendeiro "tentou brincar com os portugueses" de forma "inadmissível".

João Cotrim de Figueiredo fala "num dia bom" para a Justiça portuguesa depois da detenção de João Rendeiro, que estava fugido na África do Sul. A Iniciativa Liberal reúne-se este fim de semana em convenção, mas antes do início dos trabalhos a detenção do bancário era o tema de conversa dos liberais.

Na chegada ao centro de congressos de Lisboa, onde decorre a VI convenção do partido, Cotrim de Figueiredo notou que "já sabia que hoje era um dia bom para o liberalismo, mas é também um dia bom para a Justiça".

"O que João Rendeiro fez, enquanto gestor do BPP e os crimes que aí cometeu, e a forma inadmissível como tentou brincar com os portugueses, fugindo à justiça, acho que é um dia bom quando se sabe que acabou por ser detido", notou.

O líder liberal acrescentou que o antigo bancário "vai ser extraditado para Portugal e cumprir a pena dos casos que transitaram em julgado, quer de outros crimes".

João Cotrim de Figueiredo disse ainda que num país "onde há tanta falta de responsabilização da parte dos governantes, é muito bom que existam casos como este".

A VI convenção da Iniciativa Liberal vai reeleger João Cotrim de Figueiredo como líder do partido, é o único candidato e aposta numa comissão executiva de continuidade, embora com algumas saídas e entradas.

Entram o professor catedrático Miguel Pina e Cunha e a advogada Ana Pedrosa-Augusto, que foi vice-presidente do Aliança, mas nas autárquicas já integrou as listas da Iniciativa Liberal à Câmara de Lisboa.

A saída mais notável é a de Maria Castello-Branco, uma jovem liberal que foi apontada com uma estrela em ascensão no partido, mas perdeu protagonismo nos últimos tempos, depois de ter recusado participar na convenção do Movimento Europa e Liberdade (MEL).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de