Campanha de Luís Montenegro denuncia irregularidades no processo de diretas no PSD

Pedro Alves afirma que alguns militantes sociais-democratas estão a ser impedidos de participar na votação de janeiro.

Pedro Alves, diretor de campanha da lista liderada por Luís Montenegro à presidência do PSD, fala em irregularidades no processo de atualização de dados dos militantes sociais-democratas e diz que alguns estão a ser impedidos de participar na votação de janeiro.

A decisão de impedir que os cadernos sejam atualizados a partir de agora está nos regulamentos, mas a campanha de Luís Montenegro considera que essa atualização deveria poder ser feita até dia 22 deste mês. Várias queixas levam Pedro Alves a pedir a intervenção do presidente do conselho de jurisdição do partido.

"Não podemos aceitar que se silencie a voz dos militantes através da secretaria. No passado, qualquer militante pagava as quotas através de uma referência e do número de militante. Hoje em dia, se um militante quiser ter acesso às referências de pagamento das suas quotas tem de enviar, através do seu próprio telemóvel, uma mensagem para um número específico e recebe individualmente uma referência. Se os dados são atualizados na base de dados do partido tem de haver uma atualização desses dados", explicou à TSF Pedro Alves.

O diretor de campanha da lista liderada por Luís Montenegro insiste que as alterações às regras do pagamento de quotas não deviam ter acontecido em cima das eleições para a liderança do partido.

"Pedimos ao presidente do conselho de jurisdição para atuar, para acompanhar de perto todo este processo, para fazer parte da comissão eleitoral independente para que perceba efetivamente quais são os problemas que vão acontecendo no decorrer de todo este processo e que, com isenção e transparência, ajude a que este processo eleitoral decorra da melhor forma", acrescentou o diretor de campanha da lista liderada por Luís Montenegro.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de