"É absolutamente natural." Assis não está surpreendido por estar fora das listas do PS

Francisco Assis admite à TSF que não se sente "minimamente magoado" com esta decisão, sublinhando o "livre arbítrio do secretário-geral" do partido.

Está marcada para esta segunda-feira a reunião da comissão política do PS que vai aprovar as listas de candidatos a deputados. O nome de Francisco Assis, que se tinha manifestado disponível para regressar ao parlamento, não está, até agora, entre os eleitos. Nada que surpreenda o antigo líder parlamentar do partido.

"Eu manifestei o fim de uma indisponibilidade, não disse que queria ser deputado e não falei com ninguém ao longo deste período sobre esse assunto. Nunca me foi criada qualquer expectativa, nem me preocupei com essa questão", afirma Francisco Assis, em declarações à TSF.

"É absolutamente natural que eu não integre as listas do PS, não estou nada surpreendido, é um processo absolutamente natural. A disponibilidade que eu então manifestei de, se o PS assim o entendesse, participar mais ativamente na vida política mantém-se, exatamente nos mesmos termos da participação na campanha eleitoral", acrescenta, sublinhando que não se sente "minimamente magoado" com esta decisão porque se trata de um campo de "livre arbítrio do secretário-geral" do partido.

Francisco Assis fica fora das listas, mas não se exclui do próximo ciclo político. "Eu não tenho nenhuma expectativa, nem preocupação, nem nenhuma ambição particular em relação ao próximo círculo político."

"A indisponibilidade que tinha há dois anos desapareceu e desapareceu mesmo. Quanto ao resto não tenho nenhuma preocupação, nunca me movi por esse tipo de preocupações. Julgo que sobre esse ponto de vista basta olhar para o meu passado recente para perceber que a última coisa que eu penso na vida é atuar em função do desempenho deste ou daquele cargo. Pelo contrário, sempre atuei com liberdade que é o bem mais precioso que temos e que eu tenho na minha vida politica", admite.

A Comissão Política do PS reúne-se nesta segunda-feira em Lisboa para aprovar as listas de candidatos a deputados nas próximas eleições, as quais apresentam globalmente uma linha de continuidade e poucas mudanças relevantes face às legislativas de 2019.

Algumas das listas propostas para os círculos eleitorais do território continental poderão ainda sofrer alterações de última hora na própria noite da reunião da Comissão Política do PS, sobretudo nos casos de Lisboa e Porto, mas, na sua maioria, deverão manter-se tal como saíram das federações distritais do partido.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de