"É altura de relançar a mais antiga aliança que existe" entre Portugal e o Reino Unido

António Costa destacou os 650 anos de ligação entre Portugal e o Reino Unido no final de uma reunião com Boris Johnson, em Londres.

António Costa afirmou, esta segunda-feira, após uma reunião com Boris Johnson, a necessidade de "relançar a mais antiga aliança que existe a nível mundial". O tema da reunião entre os dois primeiros-ministros foi a celebração do novo quadro de cooperação entre Portugal e o Reino Unido após o Brexit.

O novo quadro de cooperação prevê colaborações nas "energias renováveis, insuficiência energética e também no apoio à transição digital", facilitada, segundo António Costa, pela vasta comunidade científica portuguesa no Reino Unido.

Perante os jornalistas, António Costa salientou também que o Reino Unido "tem vindo crescentemente a investir" em Portugal, "beneficiando as empresas britânicas das vantagens do Brexit no Reino Unido e das vantagens de continuarem na União Europeia por investirem em Portugal".

"Têm investido sobretudo na área das tecnologias", completou.

António Costa afirmou "separar as águas" nas relações bilaterais com o Reino Unido e as divergências pós-Brexit entre Londres e Bruxelas sobre a Irlanda do Norte, nas quais apoia a União Europeia (UE).

Questionado sobre as tensões entre a UE e o Reino Unido, Costa disse ter transmitido a posição portuguesa. "Nós separamos as águas. A negociação entre a União Europeia e o Reino Unido é conduzida pela Comissão, e nós damos todo o apoio à Comissão e o governo britânico não tem dúvidas sobre isso", afirmou, aos jornalistas.

Porém, defendeu que, "dentro daquilo que são os acordos e as divergências no âmbito da União Europeia, há espaço para desenvolver o relacionamento bilateral".

Johnson poderá estar na Conferência dos Oceanos

António Costa também mencionou a relação marítima entre ambos os estados. "Não há nada que nos una mais ao Reino Unido que os oceanos", assinalou. O primeiro-ministro acredita que o governo britânico estará cada vez mais interessado no tema, admitindo até a possibilidade de Boris Johnson visitar a Conferência dos Oceanos, que se irá realizar em Lisboa.

"Ao longo destes 650 anos, a relação [entre Portugal e o Reino Unido] teve diversas fases" e, depois da saída da União Europeia e da Covid-19, o primeiro-ministro admite que se trata da "altura perfeita" para voltar a consolidar relações.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de