Eleitores em França veem boletins de voto devolvidos pelo correio

Vários eleitores verbalizaram a dificuldade em transformar o boletim de voto num envelope postal. Foi o caso de António Sérgio, que vive em Nantes, e voltou a receber o boletim de voto no correio.

Muitos portugueses a viver no estrangeiro apontaram falhas no processo de votação para as eleições legislativas. Em França vários envelopes foram devolvidos pelos correios.

Foi o caso de António Sérgio, que vive em Nantes, e voltou a receber o boletim de voto no correio.

Pela primeira vez em eleições legislativas, os emigrantes portugueses tiveram a opção de votar por correspondência, mas, apesar desta facilidade, nem todos os eleitores conseguiram votar. "Encontrei o boletim de voto na caixa de correio sem nenhuma explicação. Nos envelopes, está indicado o remetente; tinha a minha morada, mas ele veio para trás e não faço ideia porquê", descreve António Sérgio.

Vários eleitores verbalizaram a dificuldade em transformar o boletim de voto num envelope postal.

"Tinha lido em alguns artigos que, por vezes, havia alguma dificuldade em transformar aquela folha A4 num envelope com aquela cola ao lado, etc. O trabalho de origami não era fácil, mas o meu envelope veio para trás completamente selado, intacto, e não faço ideia porquê", explica.

Como muitos eleitores, António Sérgio queixa-se de ter sido privado do direito ao voto.

"Sinto que fui impedido de exercer o meu direito de voto, porque, para as eleições europeias, este recenseamento automático já tinha sido feito, mas a modalidade era diferente. O voto era presencial, e, no dia das eleições, desloquei-me de Nantes a Paris. Fiz 400 quilómetros para poder exercer o meu direito", descreve.

Nestas eleições legislativas, António Sérgio não se deslocou a Paris, por ter recebido indicações de que teria a possibilidade de "confortavelmente exercer o meu direito por correspondência". "Não me desloquei a Paris, e o que é facto é que não pude votar", lamenta o eleitor.

Eleitores que não residem no endereço indicado, correspondência não reclamada foram algumas das razões na origem da devolução dos boletins de voto. O voto dos portugueses recenseados no estrangeiro aumentou neste escrutínio à semelhança do número de eleitores que foram impedidos de votar.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de