Erros no PSD. "Houve um erro e, no mesmo dia em que foi reportado, foi corrigido"

Secretário-geral adjunto do partido admite um erro, nas base de dados dos militantes entregues às candidaturas de Montenegro e Rui Rio. Hugo Carneiro garante que o problema foi corrigido no próprio dia.

O PSD assume que houve erros nas listas de dados dos militantes, entregues às candidaturas de Luís Montenegro e também de Rui Rio, mas o secretário-geral adjunto garante que os problemas verificados foram prontamente corrigidos, rejeitando as acusações de irregularidades.

"Houve um erro, que assumi logo que me foi reportado e, no mesmo dia que em que nos foi reportado, foi corrigido", disse à TSF Hugo Carneiro.

A candidatura de Luís Montenegro fala em "irregularidades", no processo de atualização de dados dos militantes sociais-democratas e no pagamento de quotas, dizendo que alguns estão a ser impedidos de participar na votação de janeiro.

O secretário-geral adjunto social-democrata sublinha que as alterações de pagamento de quotas foram feitas para evitar situações pouco transparentes.

"Existia uma entidade, como se fosse [uma fatura] da água ou da luz e depois havia uma referência. A referência era composta pelo número de militantes, antecedido de zeros até fazer nove dígitos. Isto era do conhecimento de qualquer pessoa porque o número de militante vem nas listagens e por isso permitia que qualquer um pagasse a quota que não era a sua", explica Hugo Carneiro, afirmando que, com as novas regras, "só o próprio militante pode fazer o pagamento". "É uma chatice muito grande", ironiza.

"O que se passava no partido era milhares de militantes com o mesmo número de telemóvel. Se alguém me explicar, como é que possível centenas ou milhares de militantes terem o mesmo número de telefone, talvez eu consiga compreender a queixa. Foram precisamente essas situações corrigidas ao longo dos últimos dois anos, com o aprimoramento dos regulamentos e das regras do funcionamento internas do partido e do sistema informático. Foram reportadas às distritais e não obtivemos respostas", acrescenta.

Em reação às acusações da candidatura de Luís Montenegro, o secretário-geral adjunto do PSD acredita que as críticas não estejam relacionadas com a secretaria do partido, mas sim com lutas entre candidaturas.

O diretor da campanha de Montenegro disse, em declarações à TSF, que "não se pode aceitar que se silencie a voz dos militantes através da secretaria". Pedro Alves exigiu uma atualização da base de dados dos militantes e pediu a intervenção do conselho de jurisdição do partido.

Sobre as alegadas irregularidades, Rui Rio não se alongou nos comentários, recordando apenas que as regras foram alteradas para evitar que as quotas sejam pagas sem o conhecimento dos militantes.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de