Estado de Emergência? PSD não se deve opor

Ao contrário da primeira vaga, PSD não vai ser pró-ativo na defesa do Estado de Emergência, mas não deverá ser oposição a uma eventual declaração. Postura vai ser de colaboração com o governo no combate à pandemia.

Caso o governo considere que venha a ser necessário declarar um novo Estado de Emergência, não deverá encontrar resistência no PSD que, no campo do combate à pandemia, "está preparado para debater com o governo as iniciativas a tomar".

Depois da reunião da Comissão Permanente Nacional do partido, que aconteceu ao fim do dia desta quinta-feira, no núcleo duro de Rui Rio espera-se para perceber o que pretende fazer o governo. Mas ao contrário da primeira vaga da pandemia na qual o PSD desempenhou um papel pró-ativo na defesa do Estado de Emergência, desta vez Rui Rio aguarda que o primeiro-ministro comunique quais os planos que tem para limitar a propagação do vírus.

Ainda assim, ao que a TSF apurou, se o governo colocar a hipótese de um novo Estado de Emergência em cima da mesa, o partido não se deverá opor e até está preparado para uma postura colaborativa no sentido da união e do interesse nacional.

A reunião do núcleo duro do PSD contou esta semana inclusive com a participação de Ricardo Batista Leite, o deputado social-democrata que mais tem dado a cara pelo partido nas questões da saúde e da pandemia, e que mostrou gráficos e informação estatística sobre a evolução da pandemia considerados "verdadeiramente preocupantes" pela direção do partido.

Também por isso, se nos últimos dias com o Orçamento do Estado a postura foi naturalmente divergente para com a proposta apresentada pelo governo, no campo do combate à pandemia o objetivo é o da união com o PSD a assumir-se preparado "para ser pró-ativo" e para "debater com o governo" iniciativas para tentar conter a Covid-19.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de