Falta de "honestidade". Bebiana Cunha sai em defesa do PAN após críticas de André Silva

Dirigente do PAN afirma que o antigo líder não tem autoridade para fazer essas críticas.

André Silva criticou, esta sexta-feira, os resultados conseguidos por Inês Sousa Real e pelo PAN nas últimas eleições legislativas. Em resposta ao antigo porta-voz e deputado do partido, a direção do PAN afirmou que André Silva não tem autoridade para censurar Inês Sousa Real.

Bebiana Cunha disse que o antigo líder não tem autoridade para fazer essas críticas e acusa-o de falta de memória e desonestidade pelo modo como lidou com o PS enquanto esteve à frente do partido e foi deputado.

"Não está aqui a haver honestidade da parte dele. Há aqui uma colagem prévia e da qual ele tem claramente responsabilidade. Aliás, se virmos aquilo que foram as votações durante o seu mandato de deputado único foi quando o PAN votou favoravelmente orçamentos do Partido Socialista e cuja votação a favor não se registou sequer nesta última legislatura que tivemos. Aliás, a sua oposição ao Governo ficou marcada por não ter uma única crítica a fazer ao Governo, de 2015 a 2019, quando questionado, numa entrevista ao Expresso nas eleições legislativas de 2019, sobre qual era a principal crítica que apontava a António Costa. Respondeu nenhuma", explicou à TSF Bebiana Cunha.

A dirigente do PAN sublinha que André Silva abandonou o partido no verão, recusando vir a jogo e dar contributos para a estratégia que agora critica, e considera também que o ex-porta-voz do partido não tem autoridade para vir agora criticar a atual direção, a reboque do resultado nas Legislativas.

"Aquilo que escolhe fazer é vir apontar o dedo publicamente quando internamente decidiu não ajudar o partido nem sequer apresentar a sua estratégia para as eleições que iríamos ter em mãos, quer as autárquicas quer as legislativas. Portanto, só posso concluir que se quisesse ajudar o partido tinha combinado com a direção uma estratégia para o efeito e não estaria aqui a ingerir", acrescentou a dirigente do PAN.

Sobre a disponibilidade expressa por André Silva para regressar ao PAN desde que os militantes escolham uma nova liderança, Bebiana Cunha respondeu que o que importa agora é criar condições para que Inês Sousa Real concretize, enquanto deputada, os compromissos assumidos com o eleitorado que a elegeu.

Num artigo publicado no jornal Público, André Silva afirmou que o resultado do PAN nas eleições foi um desastre, justificado por uma "postura errática" e "ineficácia da mensagem política". Apontou ainda um erro duplo à atual liderança do PAN, que primeiro se comportou como "afilhado" do PS nas autárquicas e depois "passou a porta-estandarte do OE", ao mesmo tempo que "queria dançar com o PSD".

LEIA AQUI TUDO SOBRE AS LEGISLATIVAS 2022

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de