"Fernando Medina fala do PRR como se fosse seu"

Carlos Moedas acusa o autarca de Lisboa de se apropriar do Plano de Recuperação e Resiliência. Medina lembra que os fundos europeus vão financiar apenas o metro de Lisboa.

O candidato do PSD à Câmara de Lisboa concorda com as críticas aos autarcas socialistas pela elevada dependência do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR). No debate da TSF e Diário de Notícias, Carlos Moedas lembra que os fundos europeus vão beneficiar todos os portugueses, com Fernando Medina a pedir "um desconto" para a oposição.

O líder da coligação "Novos Tempos" afirma que o PRR é a "maior vergonha que estamos a viver", com um programa "apenas para os que estão com o Governo".

"Vejo Fernando Medina falar do PRR como se fosse dele. Temos que ter muito cuidado, porque o PRR é o esforço de todos os portugueses. Temos de gerir o dinheiro de Bruxelas de maneira que vá para as pessoas e não para outros lados, como aconteceu no passado", aponta.

Fernando Medina pede "um desconto" pelo que os líderes partidários vão dizendo ao longo da campanha eleitoral, referindo-se às palavras de Rui Rio e Jerónimo de Sousa, que alegaram que o PS se sente dono do PRR.

"Em Lisboa, o PRR vai financiar apenas a extensão da linha vermelha do metro, um projeto que uniu todos os partidos", lembra.

O atual líder da capital recorda ainda que os fundos europeus vão permitir financiar o metro de superfície de Loures, reforçando a "necessidade de um desconto ao excesso de críticas".

Carlos Moedas caracteriza a discussão em tono do próximo Executivo municipal como um "namoro a três": "Estão a discutir quem será o melhor namorado, e quem vai contribuir para manter o que existe em Lisboa".

O candidato do PSD garante que a única alternativa de mudança é a sua candidatura, em oposição a três forças políticas "à procura de desculpas para continuar a fazer o que sempre fizeram".

"A Câmara Municipal está à deriva, com uma gestão à deriva, e os partidos discutem como continuar a fazer o mesmo. Os lisboetas estão cansados desta governação", garante.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de