Festa do Pontal marca rentrée do PSD. Espera-se "uma das maiores dos últimos 20 anos"

À TSF, Hugo Soares não adianta detalhes sobre o discurso de Luís Montenegro, marcado para este domingo à noite, mas não deverão faltar críticas ao PS, que "parece achar que tudo pode fazer, confundindo maioria absoluta com poder absoluto".

O PSD espera que a festa desta noite, no Algarve, seja uma das mais concorridas dos últimos 20 anos. Mais logo, em Quarteira, Luís Montenegro estreia-se como líder na Festa do Pontal, que marca o início do novo ano político do PSD. Em declarações à TSF, Hugo Soares, secretário-geral dos sociais-democratas, espera uma enchente.

"Espera-se que o Pontal seja uma reunião de muitos militantes e simpatizantes do PSD. Creio até que se pode dizer que a expectativa é que seja uma das maiores festas do Pontal nos últimos 20 anos. A adesão, quer de militantes, quer de simpatizantes do PSD foi algo que nos surpreendeu e eu creio que podemos vir a ter uma das melhores e mais concorridas festas do Pontal", considera.

Sobre o discurso do líder, Hugo Soares garante que Montenegro vai querer afirmar o PSD como alternativa de poder, mas recusa adiantar qualquer proposta concreta que possa surgir no discurso do presidente do partido.

"É expectável que seja uma intervenção dura de um líder da oposição, que foi esse o papel que os portugueses quiseram que o PSD assumisse depois das últimas eleições legislativas, mas também uma intervenção onde o senhor presidente apresentará propostas concretas que respondam àquilo que são as maiores necessidades dos portugueses nos dias de hoje", assinala, sublinhando que são conhecidas, "desde o último congresso nacional, as prioridades das políticas públicas do PSD".

"Quanto às propostas concretas que hoje ele pode apresentar, seria até indelicado da minha parte, mesmo que as soubesse, poder partilhar antes da intervenção do líder do partido", afirma.

As ideias concretas ficam para mais tarde, certo é que ataques ao PS, não vão faltar, e há áreas que vão estar, de certeza, no discurso de Montenegro, assegura o secretário-geral do PSD.

"Desde logo, o caos em que está o Serviço Nacional de Saúde, a falta de resposta aos problemas de saúde dos portugueses, que os deixam, muitas vezes, sem confiança no SNS e outras vezes sem o próprio serviço. Por outro lado, aquilo que temos vindo a ver nos últimos dias, que tem a ver com os tiques de autoritarismo do governo do PS, que parece achar que tudo pode fazer, confundindo maioria absoluta com poder absoluto. Todas estas áreas e críticas estarão certamente também no discurso de Luís Montenegro", assegura.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de