Francisco Assis alerta que 2020 revelou "insuficiências graves" na saúde

Líder do Conselho Económico e Social pede que não se perca a oportunidade de refletir sobre soluções a longo prazo de modo a evitar "pequenos paliativos".

O Presidente do Conselho Económico e Social (CES), Francisco Assis, realça que o ano de 2020 deixou a descoberto "insuficiências graves" do sistema de saúde português e apela a que não se cometa o "erro de perder esta oportunidade para refletirmos bem" sobre as mesmas.

"Vieram ao de cima, como não poderia deixar de ser nestes momentos de crise, algumas insuficiências estruturais do Serviço Nacional de Saúde", assinalou Francisco Assis no parlamento, onde está a ser ouvido no âmbito da apreciação da Conta Geral do Estado 2020. "Foi visível que há insuficiências graves e que carecem de ser devidamente tratadas", de uma forma "estrutural e não apenas com pequenas soluções e com pequenos paliativos", asseverou.

Reconhecendo que "numa determinada fase tenha havido necessidade de salientar-se só tudo aquilo que de bom se fez, e sobretudo a abnegação com que os profissionais de saúde se dedicaram num momento muito difícil", o líder do CES alerta contra o que pode ser um caminho errado.

"Seria um erro se nós perdêssemos - todos nós, sociedade portuguesa e partidos políticos - a oportunidade para refletirmos bem - e aí depois há várias soluções possíveis e há vários caminhos possíveis - e para percebemos claramente que há graves problemas no nosso sistema de saúde em geral", explicou, apelando a um "esforço" para encontrar respostas.

Perante as soluções encontradas, "prevalecerão naturalmente aquelas que suscitarem maior adesão" entre os parlamentares, assinalou, sublinhando mesmo que há um "um horizonte de estabilidade grande" no meio político nacional.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de