Governo admite que 19 freguesias da Grande Lisboa saiam da situação de calamidade

Ministro Eduardo Cabrita atira a decisão para o Conselho de Ministros da próxima quinta-feira mas adianta que "não há razão" para distinguir estas freguesias da restante área metropolitana.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, revelou esta segunda-feira que o Governo admite que "todos os cinco municípios" que têm estado em situação de calamidade devido à pandemia de Covid-19 "sejam colocados em situação de contingência", uma decisão que deve ser tomada no Conselho de Ministros da próxima quinta-feira.

Em conferência de imprensa após uma reunião com os autarcas de Amadora, Loures, Lisboa, Odivelas e Sintra, Cabrita revelou que o índice R nestes concelhos, que espelha a transmissão do novo coronavírus entre pessoas, está "em todos eles abaixo de 1, com indicadores que variam entre 0,7 e 0,8".

Tendo em conta estes dados, e reforçando que "não podemos baixar a guarda" no combate à pandemia, o governante admitiu que "todos os cinco municípios sejam colocados em situação de contingência", à semelhança da restante Área Metropolitana de Lisboa (AML), por não haver indicadores "que os afastem significativamente dos restantes municípios da AML".

"Não há razão, na Área Metropolitana de Lisboa, para distinguir estas 19 freguesias da avaliação global da AML", insistiu, antes de reforçar que "isto significa que as medidas devem ser aplicadas de uma forma transversal, intensiva, em toda a Área Metropolitana", atirando qualquer decisão para o Conselho de Ministros da próxima quinta-feira.

Ainda assim, adianta desde já Eduardo Cabrita, as medidas aplicadas até aqui devem continuar a verificar-se. "O risco existe e não desapareceu", sublinhou o governante, que revela que o Governo voltará a reunir-se com os presidentes das câmaras afetadas na segunda semana de agosto.

Os números "apontam para uma redução, quer dos casos ativos, quer de novos casos em todos os cinco municípios", com Sintra e Amadora a registarem uma "estabilização muito significativa". Já Loures e Sintra tiveram reduções significativas no número de casos, explica Eduardo Cabrita. Também a freguesia de Santa Clara, em Lisboa, regista agora números semelhantes ao do restante concelho.

Em relação a toda a área Lisboa e Vale do Tejo, "passamos de uma média de 350 a 400 casos diários para uma média de 170 casos na última semana", sublinhou.

O ministro da Administração Interna adiantou também que, de qualquer forma, irão manter-se as restrições que neste momento são aplicadas na Área Metropolitana de Lisboa, como o encerramento generalizado dos estabelecimentos comerciais às 20:00 - à exceção dos supermercados, que podem funcionar até às 22:00, e espaços como farmácias -, e a manutenção da proibição do consumo de bebidas alcoólicas na via pública.

"Estamos claramente com melhores indicadores do que a vizinha Espanha", comparou ainda o governante.

Temos de ter um agosto com saúde e em segurança, que nos permita ganhar ânimo", explicou Cabrita, que projeta já o regresso dos alunos às escolas no próximo ano letivo.

As 19 freguesias que estão em estado de calamidade são: Santa Clara (Lisboa), as quatro freguesias do município de Odivelas (Odivelas e as uniões de freguesias de Pontinha e Famões, Póvoa de Santo Adrião e Olival Basto, e Ramada e Caneças), as seis freguesias do concelho da Amadora (Alfragide, Águas Livres, Encosta do Sol, Mina de Água, Venteira e União de Freguesias de Falagueira e Venda Nova), seis freguesias de Sintra (uniões de freguesias de Queluz e Belas, Massamá e Monte Abraão, Cacém e São Marcos, Agualva e Mira Sintra, Algueirão-Mem Martins e a freguesia de Rio de Mouro) e duas freguesias de Loures (uniões de freguesias de Sacavém e Prior Velho, e de Camarate, Unhos e Apelação).

Adeptos que venham a Portugal na Champions estão "sujeitos às regras que vigoram"

Com a aproximação da realização dos jogos da Champions em Portugal, Eduardo Cabrita diz que "ainda não está sequer definido o quadro dos clubes participantes" mas que, sendo certo que não haverá adeptos dos estádios, aqueles que ainda assim escolham deslocar-se para Portugal "estarão sujeito às regras que vigoram em Portugal, designadamente na Área Metropolitana de Lisboa".

LEIA AQUI TUDO SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de