Governo destaca mensagem de união e esperança deixada por Von der Leyen

No discurso do Estado da União, Von der Leyen defendeu ser tempo de a Europa "passar da fragilidade para uma nova vitalidade", após os impactos da pandemia de Covid-19.

A secretária de Estado dos Assuntos Europeus, Ana Paula Zacarias, destacou esta quarta-feira a mensagem de esperança e de união em torno dos valores europeus no primeiro discurso de Ursula Von Der Leyen sobre o Estado da União.

"Gostei do discurso na primeira pessoa, do compromisso emocional, mas também pessoal" da presidente da Comissão Europeia, que várias vezes usou expressões como "eu farei", "eu assegurarei" ou "eu zelarei", disse Ana Paula Zacarias, elogiando ainda que o discurso tenha "começado e acabado com os valores", como "o humanismo, a vida, a diversidade, a igualdade".

Ana Paula Zacarias, que falava num debate em Lisboa organizado pelo Gabinete do Parlamento Europeu em Portugal e pela agência Lusa, salientou como "muito interessante a mensagem de esperança", assente na ideia de que os Estados-membros "só juntos" podem avançar, uma ideia que é "o mote" do programa do trio de presidências iniciado em junho pela Alemanha, a que se seguem Portugal e a Eslovénia.

Quanto às prioridades enunciadas por Von Der Leyen no discurso, a secretária de Estado afirmou que "ouvi-las é ver o programa da presidência portuguesa da União Europeia", que define cinco: resiliência, ambiente, social, global e digital.

A presidente da Comissão Europeia deu ainda "enorme relevo" à componente da política externa da UE, considerou Ana Paula Zacarias, ao referir-se às relações com a China, com a Rússia ou com o Reino Unido e a parceria com África, "todos os grandes desafios".

O Parlamento Europeu foi hoje palco do discurso sobre o Estado da União, o primeiro proferido pela presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e o primeiro realizado em Bruxelas, devido à covid-19, o tema incontornável este ano.

No seu discurso, um dos mais longos da história, com cerca de 75 minutos, Ursula Von der Leyen defendeu ser tempo de a Europa "passar da fragilidade para uma nova vitalidade", após os impactos da pandemia de covid-19.

Propôs construir uma União da Saúde Europeia reforçada, anunciou uma elevação da meta comunitária para redução de emissões poluentes, de 40% para 55% até 2030 e disse que vai propor em breve um quadro legal com vista a garantir um salário mínimo para todos os cidadãos na Europa

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de