Governo diz que chumbar OE compromete avanços nos salários, pensões, SNS e leis laborais

O Executivo reagiu ao anúncio de que tanto o Bloco de Esquerda como o PCP tencionam votar contra a proposta do Governo para o Orçamento do Estado de 2022.

O secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares advertiu, esta segunda-feira, que, se o Orçamento for chumbado, ficará comprometido um conjunto de medidas em matérias como salários, pensões, Serviço Nacional de Saúde (SNS) e legislação laboral.

Este aviso sobre as consequências do chumbo da proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2022, na generalidade, já na quarta-feira, no Parlamento, foi transmitido por Duarte Cordeiro em conferência de imprensa.

"A não viabilização do Orçamento compromete um conjunto importante de avanços, em particular os salários, pensões, SNS e legislação laboral", declarou o membro do Governo, que ainda deixou mais um recado:

"Será difícil explicar aos portugueses que todas estas melhorias nas suas vidas estão postas em causa", afirmou.

LEIA TUDO SOBRE O OE2022

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de