Governo reavalia no dia 4 de junho a reabertura dos centros comerciais em Lisboa

António Costa explica que o Governo não quis adiar a reabertura por 15 dias para não "manter por um período de incerteza excessivo aquilo que é uma frustração".

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou hoje que na próxima semana o Conselho de Ministros vai reavaliar se há ou não condições para a reabertura dos centros comerciais da Área Metropolitana de Lisboa.

No Conselho de Ministros de hoje, no qual foram decididas as medidas da terceira fase de desconfinamento, o Governo optou por adiar algumas reaberturas na Área Metropolitana de Lisboa -- entre as quais centros comerciais e lojas do cidadão - uma vez que esta região se distingue "significativamente" das restantes do país em matéria de evolução da pandemia.

"Temos também consciência de que muitos lojistas ou profissionais da restauração tinham tudo preparado para reabrir a sua atividade dentro dos centros comerciais [da Área Metropolitana de Lisboa] na próxima segunda-feira e por isso não queremos manter por um período de incerteza excessivo aquilo que é uma frustração seguramente para todos que pensavam abrir segunda-feira e que não vão abrir", explicou António Costa.

Por este motivo, o Governo decidiu não adiar esta questão por 15 dias, mas sim "reavaliar na próxima quinta-feira, dia 4, no próximo Conselho de Ministros", se há ou não "condições para permitir a reabertura", avançou o primeiro-ministro.

"Porque é que fixamos este período de uma semana? Porque vamos fazer um esforço muito grande para que todo o esforço de testagem e despistagem dos focos que temos vindo a verificar associados à construção civil e associados ao trabalho temporário", justificou.

Assim, de acordo com António Costa, daqui a uma semana já será possível "ter resultados até à próxima quinta-feira" e nessa altura "conseguir identificar melhor as cadeias de transmissão, proceder ao isolamento dos casos de pessoas infetadas que têm de ser isoladas, do isolamento das pessoas que com eles estão em contacto regular e que devem também ser sujeitos a confinamento obrigatório".

"Contendo na fonte o risco de pandemia, podemos então na quinta-feira autorizar aquilo que agora adiamos que não se possa concretizar já nesta segunda-feira", antecipou.

Os centros comerciais e as lojas do cidadão vão permanecer fechados na Área Metropolitana de Lisboa até 04 de junho, de acordo com a III fase do plano de desconfinamento do Governo, aprovada hoje em Conselho de Ministros.

Em conferência de imprensa no final da reunião semanal do executivo, o primeiro-ministro justificou a decisão com o facto de a evolução do número de casos na Área Metropolitana de Lisboa distinguir-se "significativamente" das restantes regiões do país.

Sublinhando que Alentejo, Algarve, Norte e Centro "têm tido um nível de evolução essencialmente estável", com um "forte decréscimo de incidência", António Costa contrapôs que a região de Lisboa e Vale do Tejo "tem tido um aumento muito significativo do número de casos" de Covid-19.

"Esta situação não revela uma situação, de forma alguma, de descontrolo", afirmou.

No resto do país, as lojas do cidadão reabrem na segunda-feira, por marcação prévia e com uso obrigatório de máscara.

No mesmo dia, também no resto do país, reabrem as lojas com área superior a 400 metros quadrados, as lojas e restaurantes inseridos em centros comerciais e acaba a lotação máxima de 50%, mantendo o distanciamento mínimo de 1,5 metros.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de