Governo vai financiar investigação sobre portugueses vítimas do Holocausto

Fernando Rosas tinha defendido esta manhã, em declarações à TSF, que Portugal deveria enviar dois investigadores ao campo de concentração austríaco de Mauthausen para recolher informações do arquivo.

O Governo vai financiar uma investigação para que seja possível homenagear os portugueses que passaram pelo campo de concentração austríaco de Mauthausen. Fernando Rosas tinha defendido esta manhã, em declarações à TSF, que Portugal deveria enviar dois investigadores ao local para recolher informações do arquivo.

O historiador defendeu também que a lista das vítimas portugueses deveria depois ser publicada em Diário da República ou noutra publicação oficial. Espanha fez uma homenagem idêntica, e Augusto Santos Silva aplaude a "bela ideia que, aliás, começou a ser concretizada já em 2017 em Mauthausen".

"Foi descerrada uma lápide em memória dos portugueses que morreram nesse campo de trabalho forçado", conta o ministro dos Negócios Estrangeiros, ouvido pela TSF.

Na perspetiva de Augusto Santos Silva, o desafio que Fernando Rosas lançou ao Governo é "uma proposta muitíssimo interessante, e justamente por isso combinamos que o Ministério dos Negócios Estrangeiros apoiaria a realização de uma investigação nos arquivos em Viena de forma a proceder-se à identificação exaustiva das vítimas de Mauthausen".

O governante defende a relevância do projeto para que as vítimas sejam "homenageadas devidamente", e admite mesmo que o processo de financiamento "está em curso".

"Combinei, em setembro passado, com a equipa do professor Fernando Rosas, e desde então está em análise para que possa haver um apoio financeiro, institucional e político", sustenta.

O ministro adiantou também que está a ser preparada uma homenagem ao cônsul Aristides Sousa Mendes, que, em junho de 1940, emitiu, em Bordéus, os primeiros vistos que permitiram aos judeus fugir às perseguições do regime nazi. "Estamos já a preparar, com o Governo, a passagem para o 80.º aniversário que decorrerá no próximo mês de junho."

Para Augusto Santos Silva, a importância da figura do cônsul é inegável. "Aristides de Sousa Mendes salvou muitas centenas de vidas de judeus em 1940. Há um grupo em constituição envolvendo diferentes ministérios destinado a propor um programa nacional que homenageia Aristides de Sousa Mendes e outros portugueses que se destacaram a salvar vidas."

O Governo está ainda a trabalhar em "programas que consolidem o ensino que permita manter viva a memória do Holocausto".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de