IL critica declarações de Marcelo sobre escusas dos médicos: "Devia ter mais cuidado"

Cotrim Figueiredo lamenta que o Presidente da República tenha escolhido destacar a questão jurídica dos pedidos de escusa de responsabilidade dos médicos, em vez de sublinhar as condições "absolutamente sub-humanas" com que os profissionais de saúde têm de trabalhar.

Com o tema da saúde na ordem do dia, com os problemas das urgências a prolongarem-se no mês de agosto por escassez de profissionais de saúde - uma situação com a qual o Algarve tem de lidar sobretudo no verão, altura em que a sua população triplica - , o líder da Iniciativa Liberal não quis deixar Marcelo Rebelo de Sousa sem resposta. Para Cotrim Figueiredo, o chefe de Estado até pode ter razão a nível jurídico quando afirma que, "por regra", as escusas de responsabilidade não têm suporte legal, mas não tem a nível humano, defende.

"O senhor Presidente da República, com a responsabilidade que tem, devia ter mais cuidado com essas expressões. Devia ler as cartas lancinantes que os médicos e outros profissionais de saúde escrevem quando pedem essas escusas", declarou aos jornalistas, à margem de uma visita ao hospital de Portimão, no Algarve.

João Cotrim Figueiredo diz ter na memória algumas dessas missivas e considera que é "absolutamente aflitiva" a pressão que os profissionais de saúde sentem e que os leva a dizer que não conseguem garantir a qualidade do serviço prestado aos doentes. "São condições absolutamente sub-humanas sob a qual a maioria dos profissionais de saúde trabalha", vincou.

Para o líder da IL, a matéria jurídica é a que "menos interessa", lamentando que tenha sido esse o ponto que Marcelo optou por sublinhar na entrevista à CNN Portugal.

A Iniciativa Liberal, que tem marcado para a noite desta sexta-feira o comício de reentré política, em Portimão, visitou esta manhã o hospital da cidade e reuniu com a administração do Centro Hospitalar e Universitário do Algarve.

João Cotrim Figueiredo teve conhecimento de que, a partir de sábado, e durante três dias, a urgência da pediatria de Faro vai encerrar por falta de médicos. A resposta dada pelo centro hospitalar não satisfez o líder da IL.

"Já será o décimo período de encerramento das urgências neste centro hospitalar, este ano. O que nos foi dito foi que estamos a falar de um número de dias de encerramento inferior ao de 2021. Ter uma melhoria em relação ao passado, para nós, não é suficiente", atirou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de