IL quer taxa única de IRS "de forma gradual". TAP, CGD e RTP são para privatizar

O partido continua a defender a reforma do sistema eleitoral, com a introdução do círculo nacional de compensação, e propõe ainda uma reforma na justiça.

A Iniciativa Liberal (IL) promete colocar Portugal a crescer, "com menos impostos e melhores salários", e se chegar ao Governo quer privatizar a TAP, a RTP e a Caixa Geral de Depósitos (CGD). Os liberais apresentaram este sábado o programa eleitoral, com cerca de cem propostas, e defendem uma taxa única de IRS de 15 por cento, assim como a redução do IRC.

Em Guimarães, onde decorreu a apresentação das medidas, João Cotrim de Figueiredo lembrou que na cidade berço "nasceu Portugal" e "aqui vai nascer um Portugal mais liberal". O líder do partido insiste que o país "tem de mudar".

"Nos últimos 20 ano, o crescimento médio real de Portugal foi de um por cento. Medíocre. Fomos ultrapassados por sete países, a maior parte do leste europeu. Medíocre. Nos últimos 20 anos a nossa produtividade em relação à União Europeia baixou. Não é medíocre, é péssimo", apontou.

E para a mudança, a IL promete uma taxa única de IRS, de 15 por cento, mas aplicada de forma gradual, "com um modelo intermédio com duas taxas: de 15 e 28 por cento".

"Não somos irresponsáveis, sabemos que tem de ser feito gradualmente. No nosso programa está um modelo intermédio de duas taxas. para que se possa subir os salários líquidos dos portugueses, é urgente reduzir o IRS", explicou.

O IRC também deve baixar para 15 por cento e prometem ainda eliminar o derrame estadual. O partido quer o fim de "taxas e taxinhas", com a alteração do IMI e IMT, e a redução do IVA da construção imobiliária para habitação de 23 por cento para 6 por cento.

Na saúde, a Iniciativa Liberal promete uma "reforma estrutural", com uma nova lei de bases da saúde, "num regime misto, com recurso a prestadores privados, sociais e públicos".

"Queremos um sistema em que as pessoas possam escolher o seu hospital, e os hospitais possam concorrer entre si. Isto para, de uma vez por todas, acabar com o flagelo das listas de espera", disse.

No que toca à TAP, a proposta dos liberais é a mesma de sempre: "nem mais um cêntimo e privatizar assim que for possível".

Para "emagrecer o Estado e terminar com o compadrio e a corrupção", o partido propõe uma reforma na justiça, com a fusão do Conselho Superior da Magistratura, dos Tribunais Administrativos e Fiscais e do Ministério Público. A IL também propõe uma reforma da segurança social.

A criação do provedor da criança é outra das propostas, uma "entidade independente e especializada na promoção e defesa dos direitos das crianças".

O partido continua a defender a reforma do sistema eleitoral, com a introdução do círculo nacional de compensação, como já acontece nos Açores.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de