"Incapaz de dialogar." Fenprof acusa ministro da Educação de não ser democrata

Em dia de greve nacional, Mário Nogueira diz que Tiago Brandão Rodrigues "é incapaz de resolver problemas e de dialogar com sindicatos".

O secretário-geral da Federação Nacional dos Professores (Fenprof), Mário Nogueira, acusa o ministro da educação de não ser democrata e de fugir ao diálogo com as estruturas sindicais. Os professores estão em greve esta sexta-feira em todo o país.

"Este não é um problema do Governo em relação aos professores, é um problema do Ministério da Educação. A Fenprof tem relacionamento direto com outros Ministérios, como o do Ensino Superior, e esta é uma questão do Ministério da Educação e do ministro", garante.

Mário Nogueira diz que Tiago Brandão Rodrigues "é incapaz de resolver problemas e de dialogar com quem for".

"Num Governo de uma sociedade que se rege pela democracia, era natural haver um democrata no Ministério da Educação, mas não é o que acontece", acusa em declarações recolhidas pela TSF em Coimbra.

Os professores e educadores de infância realizam uma greve nacional para reivindicar diversas medidas, como poderem aposentar-se mais cedo ou recuperarem os anos de serviço congelado.

Para Mário Nogueira, a greve tem como objetivo "quebrar o bloqueio negocial" com a tutela, que tem posto "um embargo à resolução dos problemas", registando-se um "agravamento de velhos problemas" devido à pandemia de covid-19, como é o caso do envelhecimento do corpo docente, a falta de recursos financeiros e humanos das escolas ou falta de resposta a alunos com necessidades educativas especiais.

O dirigente sindical salientou que não há o distanciamento recomendado nas salas de aulas, registando-se também a falta de rastreio e uma "incoerência completa na realização de testes".

A Fenprof estima que perto de 90% dos professores adiram à greve desta sexta-feira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de