Inquérito ao Novo Banco? "Deputados estão disponíveis para trabalhar até ao fim de semana"

Duarte Pacheco admite à TSF que o trabalho será exigente, "mas oito mil milhões merecem todo esse esforço e os portugueses exigem-no".

O Estado já depositou oito mil milhões de euros no Novo Banco (NB), e o valor justifica que os deputados trabalhem até no fim de semana, se for caso disso, para avaliar o processo da venda do antigo BES ao Fundo de Resolução.

A opinião é expressa à TSF pelo deputado do PSD Duarte Pacheco, no dia em que o partido entregou a lista dos documentos e das personalidades que pretende consultar e ouvir na comissão de inquérito ao Novo Banco.

São chamadas 76 personalidades, incluindo nomes estrangeiros como Christina Lagarde, Mário Draghi e a comissária Magaret Vestager.

Entre os nomes nacionais estão, por exemplo, o antigo secretário de Estado Sérgio Monteiro, e vários economistas como Francisco Louçã, além do atual e dos antigos ministros das Finanças.

Duarte Pacheco defende que todos os nomes se justificam. "Todas as personalidades são importantes. Muitas vezes, o Governo e o Novo Banco têm-se responsabilizado com questões europeias. Temos de perceber se é mesmo assim, se o Governo fez tudo o que podia para convencer as autoridades europeias das soluções ou se era uma inevitabilidade", disse.

O deputado admite que o trabalho será exigente, "mas oito mil milhões merecem todo esse esforço e os portugueses exigem-no".

Duarte Pacheco lembra que alguns depoimentos podem ser por escrito, e admite um alargamento do prazo. "O prazo pode ser prolongado. Já tivemos várias comissões em que o plenário prolongou o prazo. Não pode exceder os seis meses, de acordo com a lei parlamentar", explica.

O social-democrata admite que os portugueses estão com uma grande expectativa com a comissão de inquérito. "Tudo tem de ser feito para investigar se os oito mil milhões de euros foram bem gastos ou não", mesmo que seja necessário trabalhar ao fim de semana.

"Os deputados têm de trabalhar mais horas e os portugueses têm de ficar com certezas", afirma.

Na longa lista com 76 personalidades e entidades estão também incluídos os presidentes das comissões executivas da Caixa Geral de Depósitos, Millennium BCP e BPI.

Os sociais-democratas entregaram ainda uma longa lista de 58 documentos aos quais querem ter acesso no âmbito da comissão parlamentar, tais como atas das reuniões do Conselho de Administração do NB "desde o momento da resolução", relatórios de acompanhamento trimestrais do Fundo de Resolução ou ainda comunicações entre o governo português e a Comissão Europeia associados ao NB.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de