PSD

«A peça de teatro chegou ao fim», diz Passos

O presidente do PSD referiu que «a peça de teatro chegou ao fim» e pediu ao Governo para não «fingir mais» e deixar outros fazer o trabalho, caso não o queira fazer.

«Não queremos olhar mais para esta peça de teatro de má qualidade. Não vale a pena», afirmou esta terça-feira Passos Coelho, que criticou o novo Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC) pelo conteúdo e, sobretudo, pela forma como foi anunciado.

PUB

«Considero isto de uma deslealdade e de uma falta de respeito pelo país, pelos portugueses e pelas instituições», criticou ao falar do modo com o PEC foi apresentado pelo Governo antes da cimeira europeia da semana passada.

Para Pedro Passos Coelho, «o Governo meteu-se numa alhada muito grande», tal como ao país, e «agora quer que seja o PSD a descalçar a bota, outra vez». «Isto já passou dos limites», sublinhou.

«Se déssemos ao país qualquer razão para pensar que ainda é possível manter este teatro então estaríamos a tornar-nos iguais ao Governo e ao PS», defendeu.

O líder do principal partido da oposição lançou ainda um apelo: «Ou o Governo faz o seu trabalho ou deixa que outros o façam».

Garantiu também que «o PSD está em condições de começar um caminho novo que possa tratar Portugal com respeito, inteligência e dedicação e sem mais fitas, porque as que temos já foram longes de mais».

Contudo, em momento algum o líder social-democrata falou de moção de censura e no final não respondeu às perguntas dos jornalistas.