Congresso PS

António Costa classifica Bloco de Esquerda como um partido «parasita e oportunista»

No  XVI congresso socialista, o presidente da câmara de Lisboa, António Costa, sublinhou que não há partido à esquerda que mereça credibilidade para uma coligação com o PS e descreveu o Bloco de Esquerda como «um partido oportunista que parasita a desgraça alheia e incapaz de assumir responsabilidades».

Na apresentação da moção do secretário-geral do PS, José Sócrates, no segundo dia de congresso, o presidente da Câmara de Lisboa dramatizou a necessidade de os socialistas repetirem a maioria absoluta.

PUB

«A questão é se governa o PS com José Sócrates ou se governa a direita. A direita não, a direita nunca», declarou, recebendo uma prolongada ovação dos delegados.

António Costa defendeu depois que o PS não tem parceiros à sua esquerda para poder governar, ponto em que fez um duro ataque ao Bloco de Esquerda a partir da sua experiência como presidente da Câmara de Lisboa.

«O Bloco de Esquerda é completamente alérgico a assumir qualquer responsabilidade e riscos de governação», disse, mas foi ainda mais longe.

Para António Costa, o Bloco de Esquerda «é um partido oportunista que parasita a desgraça alheia e incapaz de assumir responsabilidades».

O autarca traçou ainda um quadro muito critico à chamada convergência que tem unido o Bloco de Esquerda com vozes socialistas, como Manuel Alegre.

«Quando falam da convergência da esquerda, não é a convergência do conjunto das forças da esquerda, é uma convergência que visa exclusivamente a divisão do partido socialista para o enfraquecer. E é por isso que temos de nos manter unidos», apelou António Costa.

Quanto às eleições legislativas, o socialista foi claro e garantiu que só há uma possibilidade.

«Se volta a governar a direita ou se continua a governar o PS e José Sócrates. Esta é a escolha que temos e para ela só temos uma resposta: O PS e José Sócrates, a direita não e nunca!», afirmou.