CDS acusa governo de "desorientação" em relação ao SIRESP

Nuno Magalhães considera que o investimento na rede de emergência é necessário, mas defende que a "nacionalização" do sistema não resolve problema nenhum.

O deputado Nuno Magalhães afirma que o CDS não está contra o investimento na rede do SIRESP, mas sim contra o que diz ser a desorientação do governo.

Em declarações à TSF, o líder parlamentar centrista, diz que "este é mais um episódio do que tem sido a desorientação do governo em matéria de proteção de incêndios florestais e em relação ao SIRESP".

"Estas fragilidades estão identificadas há muito. O investimento nesta rede é bem-vindo, porque é necessário, mas face ao que sabemos que é necessário e que o relatório diz que é necessário, 25 milhões parecem-me insuficientes e a nacionalização da gestão não veio tirar qualquer tipo de dependência em relação aos privados e a necessidade de investimento que teria sempre que acontecer", disse o líder parlamentar centrista.

Nuno Magalhães acusa ainda o governo de estar baralhado e de fingir resolver problemas que acabam por ficar iguais.

"O relatório diz que o SIRESP funciona relativamente bem exceto nas emergências, o que é muito preocupante. Mais uma vez temos um governo baralhado nesta matéria, que procura fingir que resolve o problema e a verdade é que esta nacionalização não resolve problema nenhum", disse.

Esta quinta-feira o jornal "Público" divulgou um relatório que conclui que a rede SIRESP é vulnerável e não permite atualizações tecnológicas significativas.

Além disso, a segurança do SIRESP não cumpre os requisitos internacionais e o funcionamento do sistema mantém-se dependente da Altice e da Motorolaque continuam a ser os fornecedores pelo menos até 2021.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de