Legislativas 2011

CDS-PP e PCP desvalorizam resultado da sondagem

Enquanto o CDS-PP entende que a sondagem não tem credibilidade, o PCP defende que mais do que em estudos de opinião, na hora de votar, os portugueses devem pensar na sua condição de vida.

Se as eleições fossem hoje, o PS venceria, apesar de só com um ponto acima do PSD, segundo o barómetro da Marktest para a TSF e Diário Económico.

O secretário-geral do CDS-PP considerou que esta sondagem não «tem qualquer credibilidade», até porque é feita pelo mesmo centro de sondagens que há dois anos «a quatro dias do CDS ter tido 10,5 por cento dava cinco por cento ao CDS».

O democrata-cristão lembrou que a sondagem feita há um mês, conhecida na véspera de Passos Coelho pedir maioria absoluta, dava maioria ao presidente do PSD.

Agora, comentou João Almeida, os «erros sucessivos do PSD fazem gerar uma insegurança nesse partido».

Também Vasco Cardoso, da comissão política do PCP, disse que o partido não atribui particular importância à sondagem e recomendou aos portugueses não se deixarem influenciar por estudos de opinião, mas votarem em «função das suas condições de vida».

«A perspectiva de agravamento que PS, PSD e CDS procuram introduzir com esta intervenção externa do FMI» deve ser contrariada nas urnas, com a «afirmação de um outro rumo para o país», considerou.

O PS remeteu um comentário à sondagem para esta quinta-feira. A TSF continua a tentar contactar PSD e BE para obter uma reacção ao barómetro.

  COMENTÁRIOS