Costa só recebeu relatório sobre recuperação do material de Tancos um ano depois

Nas respostas enviadas aos deputados da Comissão de Inquérito, Costa acrescenta ainda que tinha a convicção que o antigo ministro da Defesa Azeredo Lopes também não tinha visto o documento.

O primeiro-ministro, António Costa, só recebeu o relatório sobre a recuperação das armas furtadas em Tancos no dia em que o antigo ministro da Defesa Azeredo Lopes se demitiu.

O mesmo documento tinha sido entregue no gabinete do ministro da Defesa cerca de um ano antes pelo diretor da Polícia Judiciária Militar (PJ) da altura.

Estes dados fazem parte das respostas que o primeiro-ministro enviou à Comissão de Inquérito ao furto de armas em Tancos, a que o Diário de Notícias teve acesso.

Costa esclarece ainda que ficou com a convicção de que Azeredo Lopes também não tinha visto o relatório anteriormente, adicionando ainda que este era um documento não timbrado, sem assinatura e sem data.

Nas respostas que enviou aos deputados da Comissão de Inquérito, António Costa garante que nunca soube de uma investigação paralela da Polícia Judiciária Militar e que também desconhecia o despacho que a Procuradora-Geral da República retirou a condução do caso à PJM.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de