Cristas propõe abertura da travessia fluvial do Tejo à concorrência dos privados

A líder do CDS considera que a concorrência seria benéfica para um setor que tem sido marcado por várias greves.

A líder do CDS-PP defendeu hoje a abertura à concorrência dos privados da travessia fluvial do Tejo como uma das respostas possíveis aos problemas das contínuas greves que afetam os utentes deste serviço.

Em entrevista à TVI, Assunção Cristas sublinhou que o Governo do PS enfrentou mais greves nos transportes do que o executivo anterior, do PSD/CDS, a que pertenceu, e explicou que uma das soluções propostas pelos centristas é "abrir à concorrência a travessia do Tejo".

Mantendo "o investimento" e o serviço já existente, da Transtejo/Soflusa, a presidente dos centristas afirmou que "se os privados entenderem que interessa virem trabalhar e fazer essa travessia, devem poder fazê-lo".

"A concorrência... eu acho que é benéfica", afirmou Cristas, que é também vereadora do partido na Câmara de Lisboa, dando o exemplo da TAP e das empresas que também operam no setor dos transportes.

A Transtejo assegura as ligações fluviais entre o Seixal, Montijo, Cacilhas e Trafaria/Porto Brandão e Lisboa, enquanto a Soflusa é responsável por fazer a ligação entre o Barreiro e Lisboa, sendo ambas geridas pelo mesmo conselho de administração.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de