"Esmagadora maioria do PSD quer que liderança se mantenha" até às legislativas

O PSD foi o grande derrotado das eleições Europeias e todos apontam o dedo a Rui Rio. Exceto talvez David Justino.

O PSD foi o grande derrotado das eleições Europeias e todos apontam o dedo a Rui Rio. Exceto talvez David Justino.

David Justino acredita que no seio do PSD ninguém está a afiar facas. Rui Rio não tem o posto ameaçado, mesmo depois da derrota nas Eleições Europeias.

"A esmagadora maioria do PSD está convicta que até, às eleições legislativas, esta liderança deve manter-se", disse o social-democrata no programa da TSF "Almoços Grátis".

"A liderança não é contestada", assegura, ideia que tem por base "quer o anterior Conselho Nacional, quer a forma como as diferentes estruturas se empenharam na campanha".

David Justino reitera assim a posição que já marcara no domingo, em plena noite eleitoral, quando afirmou que "seria uma irresponsabilidade muito grande que quem está na liderança se demita dela e que quem não está na liderança queira liderar" tão perto das legislativas.

Questionado na TSF se os adversários internos de Rui Rio estavam a preparar-se para uma 'noite das facas longas', o social-democrata diz que até pode haver facas "mas não serão assim tão grandes..."

O próprio Rui Rio já garantiu que não vai a lado nenhum. Logo no domingo, o líder social-democrata garantiu que tem "condições para levar o PSD a um bom resultado".

"Que fique aqui claro: ando há 61 anos nesta vida e há muitos anos na vida pública. Eu não abandono. Eu assumo as minhas responsabilidades", afirmou na reação aos resultados eleitorais.

Para pedir ao próprio partido mais união, o presidente do PSD deixou uma questão: "Se já foi difícil andar um ano com turbulência interna e chegar a estas eleições assim, como não será chegar a outubro se entretanto vierem fazer a mesma coisa?"

Mérito de uns, demérito de outros

Neste Almoços Grátis, Carlos César defendeu que "a derrota do PSD deve-se muito ao pouco acolhimento que a sua liderança tem vindo a revelar".

Rui Rio não pode "ficar fora deste filme", defende o socialista., ainda que tenha "procurado resguardar-se quando viu que a coisa estava a correr muito mal".

"O PS ganhou as eleições, o não pode deixar de ser mérito da liderança; e o PSD perdeu, e isso não pode deixar de ser demérito da sua liderança", defendeu.

O PSD elegeu seis eurodeputados no domingo, com 21,94% dos votos, enquanto o PS conseguiu eleger nove deputados para o Parlamento Europeu, com 33,38% dos votos - Um resultado que, para Carlos César - é prova da "derrota estrutural do PSD".

E para conseguir melhor nas legislativas? Vai o PSD mudar de discurso como admitiu o secretário-geral do PSD José Silvano ao dizer que os sociais-democratas vão "fazer algumas mudanças na campanha para as legislativas" para combater a abstenção?

"As pessoas não se podem travestir de um dia para o outro", lembra Carlos César.

Com Anselmo Crespo e Nuno Domingues

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de