Gabinete de Passos desmente versão de Paulo Portas

Fonte oficial do gabinete do primeiro-ministro, contactada pela TSF, sublinha que o comunicado de Paulo Portas, divulgado esta tarde, não reflecte o que se passou nos últimos dias.

A mesma fonte relembra que o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros acompanhou, nos últimos meses, todo o processo de preparação da saída de Vítor Gaspar.

No sábado passado, Passos Coelho terá comunicado a Paulo Portas que a demissão do então ministro das Finanças estava planeada para segunda-feira, e que a sucessora escolhida era a então secretária de Estado do Tesouro, Maria Luís Albuquerque.

Na versão do gabinete do PM, Paulo Portas terá dito que a escolha do ministro das Finanças é uma prerrogativa do primeiro-ministro, tendo afirmado nessa altura que talvez fosse melhor escolher um ministro com outro perfil, como Paulo Macedo (atual ministro da Saúde).

A mesma fonte revela ainda que, ao longo da manhã e tarde de ontem, Paulo Portas participou ativamente no processo de escolha da equipa de Maria Luís Albuquerque, tendo indicado que o CDS/PP pretendia a continuidade de Paulo Núncio na secretaria de Estado dos Assuntos Fiscais.

Já esta terça-feira, ao que garante a mesma fonte oficial do gabinete do PM, Paulo Portas terá estado em São Bento, dando conta de que não se sentia confortável com a nomeação de Maria Luís Albuquerque, e que ia refletir sobre o assunto.

Ainda de acordo com esta versão do gabinete de Passos Coelho, a carta de demissão de Paulo Portas só chegou às mãos do Primeiro-ministro cerca de meia-hora antes do comunicado do ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros ter sido tornado público.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de