Governo prepara ofensiva contra Berardo: Cultura, Justiça e Finanças estão envolvidas

As medidas serão as "adequadas e necessárias" mas por agora o Governo "não dá a satisfação ao Sr. Berardo" de as antecipar.

Depois do "choque" que António Costa disse ter sentido ao ouvir Joe Berardo na comissão de Inquérito à Caixa Geral de Depósitos, o Governo começou a articular uma estratégia de resposta que envolve os ministérios da Cultura, da Justiça e das Finanças.

No final da reunião desta manhã do Conselho de Ministros, Graça Fonseca, titular da Cultura surgiu com a garantia de que tudo será feito para assegurar três objetivos: garantir a integridade da coleção, a não alienação, e a fruição pública da coleção Berardo.

"O Governo tem ao sei dispor as necessárias e adequadas medidas legais para garantir estes três objetivos", vincou a ministra da Cultura sem adiantar mais porque "nesta fase", o executivo não quer dar trunfos ao empresário.

"Não damos a satisfação ao Sr. Berardo de antecipar as medidas que o Governo pode adotar", disse a ministra da Cultura insistindo que "as declarações e a posição de Joe Berardo são insultuosas e inadmissíveis".

O Conselho de Ministros discutiu "vias possíveis de atuação" para dar resposta "à imperiosa necessidade" de salvaguardar o interesse do Estado em relação às obras da Coleção Berardo.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de