PS quer atas de reuniões de 2007 entre Banco de Portugal e BCP

Requerimento surge após as declarações do ex-administrador do BCP Filipe Pinhal.

O PS requereu, esta quarta-feira, acesso a atas das reuniões de 2007 entre o Banco de Portugal (BdP) e o BCP, que terão contado com a presença do então governador do banco central, Vítor Constâncio.

O requerimento teve origem nas declarações o ex-administrador do BCP Filipe Pinhal na sua audição na comissão parlamentar de inquérito à recapitalização e gestão da Caixa Geral de Depósitos (CGD) na terça-feira, em que mencionou reuniões nos dias 20 e 21 de dezembro de 2007 envolvendo representantes do BdP e BCP.

"Na confirmação da realização destas reuniões, solicita-se ao Banco de Portugal que remeta as respetivas atas", pode ler-se no documento a que a Lusa teve acesso.

De acordo com as declarações de Filipe Pinhal citadas pelos socialistas, o antigo administrador do BCP mencionou que na reunião de 20 de dezembro "estiveram presentes o senhor governador Vítor Constâncio, o senhor vice-governador Pedro Duarte Neves e por parte do BCP o senhor Cristopher de Beck e o doutor Filipe Pinhal".

Já na reunião de 21 de dezembro "estiveram presentes o senhor governador Vítor Constâncio e vários acionistas do BCP", de acordo com o requerimento do PS.

Na audição de terça-feira, Filipe Pinhal apelidou de "anómalo" o comportamento do BdP durante a 'guerra' pelo poder no BCP, e disse que só conseguia explicar o comportamento do governador com "desorientação".

"Só o posso entender, numa pessoa habitualmente serena como Vítor Constâncio, com uma grande desorientação com que estava, justamente no dia em que ia começar o plano de ação para tomada do BCP", afirmou Filipe Pinhal.

O ex-administrador disse que foi um processo feito "às ocultas do país, do Conselho superior do BCP, do conselho geral e de Supervisão, do Conselho de Administração Executivo".

O gestor disse não ter "conhecimento de que em algum país do mundo, entre os cinco bancos que dominam o mercado, fossem chamados os presidentes de dois desses bancos para decidir o futuro de um terceiro".

Filipe Pinhal disse que numa reunião de 21 de dezembro de 2007, "o senhor Vítor Constâncio convoca Carlos Santos Ferreira [então presidente da CGD] e Fernando Ulrich [então presidente do BPI]" para "decidir um assunto sobre um concorrente [BCP]".

Esta quarta-feira, o antigo governador do BdP, Vítor Constâncio, considerou que as declarações feitas na terça-feira no parlamento pelo ex-administrador do BCP Filipe Pinhal são caluniosas e não têm qualquer credibilidade.

Numa nota enviada à agência Lusa, o também ex-vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE) acusa Filipe Pinhal de ser "uma pessoa sem qualquer credibilidade" e classifica as suas declarações como "calúnias", lembrando que o antigo responsável do Banco Comercial Português (BCP) já foi "condenado pelos tribunais criminais e em processos do BdP e da Comissão de Mercados de Valores Mobiliários, por crimes cometidos no BCP".

Constâncio promete ainda responder às acusações de Filipe Pinhal em futuras intervenções públicas por considerar que as mesmas são falsas, "sem fundamento e sem factos".

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de