Política

Manifestantes interrompem discurso de Sócrates em Viseu

Cerca de uma dúzia de manifestantes do movimento Geração à Rasca foram expulsos do local onde o líder do PS falava, depois o terem interrompido. José Sócrates desvalorizou a questão.

O secretário-geral do PS foi interrompido, esta segunda-feira, por cerca de uma dúzia de manifestantes ligados ao movimento Geração à Rasca quando apresentava a sua moção ao próximo congresso socialista na cidade de Viseu.

PUB

«Precários nos querem, rebeldes nos terão» foi uma das frases que estes manifestantes gritaram enquanto José Sócrates discursava, antes de serem postos fora do recinto pela segurança.

«Infelizmente, não conseguimos ler o recado. Fiz questão de citar que isto era pacífico, mas como todos puderam ver e as câmaras conseguiram captar caíram-nos em cima, fomos empurrados e partiram-nos o megafone e uma colega nossa levou um pontapé», explicou Paulo Agante.

Este manifestante referiu ainda que pediu o recibo do pagamento de dez euros pagos para poder assistir ao discurso de José Sócrates e que lhe disseram que o pedido era ridículo.

«Quando eu disse que no dia 12 ninguém nos vai calar nas ruas disseram isso é o que vamos ver. É para percebermos o Governo que temos e as políticas que nos estão a governar neste momento», acrescentou.

Confrontado com este incidente, José Sócrates ironizou e considerou este protesto «muito engraçado», tendo lamentado o facto de estes jovens «não terem ficado para jantar porque até pagaram o jantar».

Desvalorizando os relatos que indicam que estes manifestantes foram agredidos, o líder socialista e primeiro-ministro disse que «teria o maior gosto em ser simpático para eles».

«Achei uma belíssima partida de Carnaval. É assim mesmo no Carnaval. É assim que fazemos uns aos outros no Carnaval», concluiu.