Manuela Ferreira Leite é "sensata" para o BE, "hipócrita" para o PCP

Mariana Mortágua diz que crítica da antiga líder dos sociais-democratas "faz sentido". Paulo Sá diz que só serve para "tentar lavar a cara ao PSD".

O Bloco de Esquerda considera "sensato" o alerta de Manuela Ferreira Leite, que defende que o atual défice é "suicida" para o país.

No programa da TSF Pares da República , a antiga líder do PSD defendeu que a direita devia assumir que este nível de défice não é o mais desejável e Mariana Mortágua elogia-lhe a postura.

"Há um conjunto de pessoas que compreendeu que essa deriva é perigosa para o país", incluindo Manuela Ferreira Leite, disse a bloquista em declarações à TSF.

Manuela Ferreira Leite já tinha defendido a insustentabilidade da dívida pública no passado e a crítica que faz agora "tem um princípio que faz sentido", reconhece Mariana Mortágua.

"Isso não me aproxima mais, nem menos, das posições ideológicas ou políticas de fundo" da antiga líder social-democrata, ressalva.

Já o PCP considera que as mesmas declarações "têm alguma dose de hipocrisia política".

À TSF, Paulo Sá diz que Manuela Ferreira Leite está "a tentar lavar a cara ao PSD", partido que defende que é necessário cumprir as "orientações e imposições" da União Europeia no que toca ao défice orçamental.

Manuela Ferreira Leite defendeu que os Governos devem perder o "complexo" que têm com o défice.

"Este défice é absolutamente suicida em relação ao país, não tenho nenhuma dúvida em afirmar isto. Ninguém nos obriga a este défice, e ele tem um preço: este nível de carga fiscal e esta degradação dos serviços. Não é possível, evidentemente, é baixar os impostos, melhorar os serviços e o défice ficar na mesma. A política devia ser deixar crescer o défice, não para os 3%, mas também não para estarmos à procura de superávites. Isso é a verdadeira loucura."

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de