Ministro garante que atraso na disponibilização de meios aéreos é "normal"

João Gomes Cravinho adianta que o Portugal está, por esta altura, melhor equipado do que em anos anteriores.

O ministro da Defesa garante que Portugal está melhor equipado, em termos de meios aéreos de combate aos incêndios, do que em anos anteriores. Esta quarta-feira, ficou a saber-se que, dos 38 meios aéreos que deveriam estar disponíveis para o combate a incêndios, apenas 21 estão operacionais. Perante estes números, o Governo garante que, a partir de junho, todos os aparelhos estão aptos a voar.

O ministro João Gomes Cravinho considera, em declarações à RTP, que o atraso na obtenção dos vistos do Tribunal de Contas é "normal".

"Normalmente, nestes procedimentos, há algumas perguntas e respostas que se fazem. Isso faz parte do processo de pedido de visto do Tribunal de Contas, é normal. Hoje foram entregues nove contratos para pedido de visto do Tribunal de Contas" que se juntam a um outro que já tinha sido entregue.

"Temos atualmente 21 meios disponíveis. Comparando com anos anterior, estamos hoje, a 15 de maio, melhor equipados do que em qualquer um dos anos anteriores", garantiu João Gomes Cravinho.

O Tribunal de Contas já esclareceu que espera uma resposta da Força Aérea sobre o pedido de esclarecimento do contrato relativo a três helicópteros ligeiros de combate a incêndios rurais.

O Presidente da República foi questionado, esta tarde, sobre os meios aéreos de combate a incêndios mas não quis fazer qualquer comentário porque tem sido tema da campanha eleitoral e porque ainda há processos em tribunal

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de