"Não há nenhum entendimento" para fazer com Costa "neste momento"

Sem deixar as críticas ao Governo pela sua atuação durante a greve, Rui Rio frisou que não tem conversas ou assuntos para tratar com Costa e que não há espaço para "entendimentos" neste momento.

Rui Rio voltou a acusar o Governo de se aproveitar da greve dos motoristas de matérias perigosas para obter dividendos eleitorais.

A greve foi desconvocada no domingo, e o presidente do Partido Social Democrata considera que só quando o Governo percebeu que o país perdia com a postura do executivo é que António Costa se mostrou verdadeiramente interessado em colocar motoristas e patrões a conversar.

"É evidente que, quando o Governo resolveu assumir um papel mais isento, deixou de fazer a dramatização e desmontou o circo que tinha montado, tudo se começou a resolver", disse Rio aos jornalistas.

Para o líder dos social-democratas, "ficou claro que grande parte deste problema existiu porque o Governo se aproveitou do problema para benefícios eleitorais".

Apesar de a greve ter terminado, Rui Rio não tem dúvidas: Este é um "braço de ferro para durar, com certeza". Ainda assim, "para os portugueses, o pior já passou".

"O Governo deixou de se colocar de um dos lados para se colocar ao meio", analisa.

Ainda esta segunda-feira, Rui Rio vai estar em Viana do Castelo, cidade onde poderá cruzar-se com António Costa, já que o líder do Governo também estará de visita às festas da Senhora da Agonia. Sobre o que os dois irão conversar, caso se encontrem, Rui Rio diz que não será, certamente, sobre acordos e entendimentos.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de