Pardal Henriques deixa de ser porta-voz dos motoristas e aceita desafio do PDR

O até agora porta-voz do sindicato que esteve à frente da greve dos motoristas aceitou o convite de Marinho e Pinto e será candidato a deputado.

Pedro Pardal Henriques anunciou que aceitou o convite para integrar a lista do PDR como cabeça de lista pelo círculo de Lisboa e que não vai continuar a representar o Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) como porta-voz.

O advogado continuará a representar juridicamente o SNMMP, assim como o Sindicato dos Seguranças e Vigilantes de Portugal, o Sindicato Independente dos Trabalhadores da Rodoviária de Lisboa e outros sindicatos.

Depois de Marinho e Pinto ter confirmado que Pardal Henriques fazia parte das listas do PDR, o até agora responsável pela comunicação do sindicato esclareceu que ponderou "bastante" e que tomou a decisão de forma "consciente", frisando que pretende ser "uma voz ativa por todas as causas" que tem defendido que que considera não estarem "representadas no Parlamento português".

"Veja-se por exemplo a reação dos partidos políticos, e em especial dos partidos com assento parlamentar relativamente à utilização de todos os meios possíveis para através da força e da aliança com as empresas, dizimar os direitos constitucionais dos trabalhadores, que reclamam unicamente o pagamento do trabalho que fazem, sem esquemas fraudulentos", escreve na nota enviada às redações.

"Voz ativa contra a hipocrisia e a corrupção"

"Aqueles que não sabem como me atacar mais, dirão (como já disseram) que me quis aproveitar da causa dos motoristas para me autopromover. No entanto, quem me conhece sabe perfeitamente que defendo esta causa desde 2017, e nunca foi a minha intenção iniciar uma carreira política. A estas pessoas que possam utilizar esses argumentos baixos, apenas questiono o porquê não tiveram coragem de assumir esta ou outras causas como estas? É mais fácil criticar ou manter-se conivente com os esquemas instalados no nosso Estado", acrescentou Pardal Henriques.

O sindicalista pretende continuar a ser uma "voz ativa contra a hipocrisia e a corrupção no Parlamento".

"Candidato-me para defender e representar estas causas, contra a corrupção. Candidato-me mas não abandonarei as causas que represento. Candidato-me porque acredito que podemos voltar a recuperar os valores de Abril", concluiu Pardal Henriques.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de