Pedro Soares não acredita em nova geringonça. "Não há condições" para renovação

O deputado do Bloco de Esquerda considera que o partido deve firmar independência face ao PS nestas legislativas, para que se afirme em soluções próprias para o país.

"Não há condições para uma nova geringonça." São as palavras de Pedro Soares, o deputado que não se recandidatará e que acredita que o BE deve voltar a aproximar-se dos valores da sua génese.

Apesar de ressalvar que esta legislatura foi fundamental para a democracia, Pedro Soares frisa que deveria ter havido um segundo acordo escrito com o Partido Socialista. Em entrevista ao jornal Público , o deputado acrescenta que o Bloco teve um papel central nestes quatro anos, quer no que toca ao equilíbrio da balança orçamental, quer em termos ambientais.

Defensor dos valores originais do BE, Pedro Soares adverte que há riscos no crescimento do partido. "É fundamental que o BE tenha um grande resultado nas legislativas. O reforço da esquerda é muito importante", salienta.

Segundo o professor que admite voltar à Universidade de Lisboa, a solução governativa desta legislatura "foi em condições históricas particulares", por isso, o Bloco "não deve vincar alianças" com o PS.

Sobre a cooperação com o Partido Socialista, Pedro Soares diz ainda: "A meio desta legislatura devíamos ter confrontado o Governo e o PS com um novo caderno de encargos."

"É preciso que o BE se afirme como um partido emancipatório, capaz de afirmar essa alternativa. É decisivo para que possa ter a ambição de mudar o país efetivamente", remata o deputado que vê claras diferenças entre o Bloco e o partido de António Costa e Carlos César no que diz respeito ao modelo social e económico.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de