Assembleia República

PS aprova sozinho pagamento de viagens para deputada Inês de Medeiros

O PS foi o único partido a aprovar o pagamento de ajudas de custo para as viagens da deputada Inês de Medeiros, eleita por Lisboa, mas que reside em Paris.

O PS votou sozinho a favor do pagamento de ajudas de custo relativas às deslocações da deputada Inês de Medeiros que, apesar de ter sido eleita por Lisboa, reside em Paris

PUB

A medida mereceu o voto contra do PSD e do Bloco de Esquerda, a abstenção do CDS-PP, tendo o PCP faltado à votação.

Para o deputado social-democrata Jorge Costa, «se estamos perante alguém que reside fora do território nacional não podemos estar a adoptar medidas pontuais que podem abrir uma caixa de Pandora».

«Nada impede que um dia qualquer um senhor deputado mude de residência para uma ilha no Pacífico e depois venha pedir ao Parlamento que lhe pague as viagens para se deslocar à ilha no Pacífico», acrescentou.

Para este parlamentar, que disse nada ter contra Inês de Medeiros, há regras definidas «que se aplicam a um deputado eleito por um círculo nacional residente em território nacional» que se deveriam aplicar neste caso.

Já para a parlamentar bloquista Helena Pinto, «o direito às deslocações para os deputados efectuarem o seu trabalho político e parlamentar» cinge-se apenas ao território nacional.

«Com certeza que as Regiões Autónomas são um custo acrescido, mas esse é um custo que a Democracia deve suportar e temos concretamente e bem legislada a situação do Círculo da Europa e de Fora da Europa», concluiu.